RSS

A Song Of Ice And Fire RPG – Resenha

23 ago

A song of Ice and Fire RPG – Robert J. Schwalb / Green Ronin Publishing 2009. 225 pags.

Pra quem recentemente acompanhou a explosão do Seriado The Game of Thrones, O Jogo dos Tronos na língua mãe, deve saber que ele é baseado na obra de G. R. R. Martin chamada Crônicas do Gelo e do Fogo, que recentemente foi  (graças a Deus!) traduzido para o português. Acompanhando esse boom a obra conta com uma versões para o RPG. Primeiramente pela Sword & Sorcery Studios e se chamava The Game of Thrones RPG, tratando apenas do primeiro romance e baseado na licença aberta do sistema D20. E finalmente em 2009 a Green Ronin lançou o RPG A Song of Ice And Fire, que abrange o mundo de Westeros e suas complexas relações.

O livro é dividido em:

Introdução: apresenta a obra, suas inspirações e explica sucintamente os sistema a ser usado. O capítulo encerra explicando o que é RPG e o que se precisa para jogar, até aí nada de inovador.

Capitulo 1 – A Westeros Primer – ele apresenta aos jogador uma descrição do mundo de Westeros, explicando os Sete Reinos, suas principais localidades, organizações, Leis e costumes, tecnologia e religião.

Capitulo 2 – Regras – apresenta o sistema D6 (não os cultuado D6 System utilizado pelo Star Wars RPG da escola véia), mas um novo sistema que utiliza mais ou menos os mesmo preceitos. O mestre deve dar uma dificuldade a ser alcançada  e estipula qual será o atributo utilizado. O jogador, por sua vez pega o número de dados relevantes àquele atributo, soma com a habilidade que será usada, adiciona os modificadores que podem ser positivos ou negativos  e rola os dados. Uma das coisas que eu gostei é que o narrador deve descrever a cena antes de determinar a dificuldade, e o jogador deve então declarar sua ação antes de rolar os dados, ainda não joguei, mas creio que deva favorecer o roleplaying. É um sistema simples e tenho certeza que qualquer jogador e mestre com o mínimo de experiência tirará de letra as dificuldades apresentadas.

Existem ainda três tipos de teste: o teste básico, que se aplica a quase todas as interações de um jogador versus uma dificuldade. O teste de competição que é o jogador versus um outro jogador ou NPC. E os testes de conflito que são usados no combate.

Este capítulo também apresenta os arquétipos que os jogadores podem escolher para basear suas personagens e o mestre seus NPC’s.

Capitulo 3 – Criação da Personagem – aqui o jogador deverá fazer as escolhas possíveis para criar sua personagem. Entre elas: a sua casa e região, idade, status, vícios, posses pessoais e, é lógico, atributos habilidades, especializações, entre outras peculiaridades do sistema.

Capitulo 4  – Habilidades e Especialidades – aqui se obtém uma boa descrição das coisas que a personagem poderá realizar com as escolhas feitas no capítulo anterior. Este capítulo não só determina exatamente o que cada habilidade ou especialidade faz e sua mecânica, mas também dá exemplos das dificuldades para o mestre.

Capitulo 5  – Destino e Qualidades – Pontos de destino são qualidades marcantes de uma personagem, esses pontos permitem que além de um personagem se sentir especial, ele venha poder, através de sua força de vontade, alterar os eventos que o cercam. Aqui determinamos  a quantidade de pontos de destino, como gastá-los e como ganhá-los novamente. As Qualidades são as características mais raras e quase únicas da personagem, tais como amigo dos animais ou sorte.

Capitulo 6 – Casas e Terras –  Aqui determinamos algumas características que são muito fortes no cenário, a que casa você pertence e a quem você deve sua lealdade. O capítulo vai desde uma explicação mais detalhada dos reinos, até os estabelecimento do que você ganhará se fizer parte desta ou daquela casa. Também estão presentes inúmeras tabelas para criarmos aspectos de jogo que dão verossimilhança a sua casa, seja ela criada do zero (inventada por você) ou seja ela já existente em alguma citação obscura de um dos 5 romances. Além das características, também traz uma tutorial de heráldica, explicação do funcionamento de uma casa, e suas principais funções, como mestre de armas e maester, e ações que você pode realizar com a influência da sua casa.

Capitulo 7 – Equipamento –  mostra o sistema monetário do mundo, as listas de equipamentos tudo que a sua personagem ira precisar!

Capitulo 8 – Intriga – Mostra a intriga política, que é a alma de Westeros. Se você quer fazer um brutamontes que invade masmorras e mata dragões este aqui não é o seu mundo! Este capítulo foca no valor da influência, como usar para atacar ou se defender de intrigas e os pontos de vitória caso você ganhe ou perca. Embora as regras sejam bem claras, este, sem duvida, é o capitulo mais difícil para o jogador ou mestre médio.

Capitulo 9  – Combate – o combate faz parte da vida do habitante de Westeros, os nobres combatem em guerras e torneios e os camponeses combatem pela sua sobrevivência, seja contra animais selvagens ou contras bárbaros ou ladrões. Este capitulo abrange tanto manobras combate de massa, torneios, dano e recuperação, com regras simples ou avançadas dependendo do nível do combate ou do jogo.

Capitulo 10  – Guerra – Mas as guerras não eram tratadas no capitulo combate? Sim, mas dada sua importância para o cenário existe um capítulo somente para tratar de guerras, movimentação de grandes tropas, ordens de batalha, maquinas de guerra, armas de sitio, e inclusive uma tabela com conseqüências no final da batalha, que não importa se for ganhador ou perdedor, todos tem conseqüências.

O capitulo 11 – Narrador – apresenta as regras para o mestre costurar e montar suas campanha através das regras anteriormente mostradas.  É discutido como administrar o tempo, criar cenas, dosar as recompensas. Mostra também através de exemplos com as personagens principais do livros como fazer ou não fazer determinadas ações; acrescenta algumas regras opcionais, além de determinar com exemplos as dificuldades. Traz também as regras auxiliares, de sono, fome, exaustão, condições climáticas etc. Mas o mais importante deste capitulo são os chamados estilos de jogo, logo no começo o narrador deve escolher ou promover a escolha de como será sua aventura ou campanha. Que podem ser :

Aventureiros – todos são aventureiros e estão ali para explorar o mundo em busca de fama e fortuna, não importa de são nobres ou não, é o estilo de jogo que mais se aproxima do bom e velho D&D.

Povo Livre –  Uma opção similar, aos de aventureiros mas você estará em terras bárbaras sempre, seja além da Muralha ou em continentes inóspitos.

Casas e estandartes –  é a solução indicada (e a qual eu adotarei em minha campanha) onde os jogadores escolhem uma casa e ou uma casa menor de uma região e todos arrumam ocupações dentro dela, perfazendo assim o sentido do jogo em grupo e não uns contras os outros.

E por ultimo, O Jogo dos Tronos –  Cada jogador escolhe uma casa e tem que administrar todos os personagens dela podendo assim construir alianças ou fazer guerras contras os outros jogadores e ou NPC’s, na minha opinião é o mais próximo que um jogo moderno pode chegar ao saudoso AD&D Birthright.

O jogo como o cenário parece empolgante em diversos aspectos. Aparentemente houve preocupação para se manter o clima dos livros num RPG, o que claramente não acontece com a maioria das outras adaptações. Somente com o livro básico e tendo lido os romances o mestre já tem material para infindáveis anos de jogo, logo o preço alto do livro importado acaba se pagando ao longo das horas de divertimento proporcionadas. No entanto, o jogo requer jogadores maduros e com alguma experiência, as mecânicas apresentadas são claras, mas complexas.

O livro é bem diagramado e bem ilustrado, eu particularmente não gostei dos arranjos na ordem de apresentação dos capítulos tanto que li de maneira alternada os capítulos que me interessavam antes e os outros por ultimo, mas no geral a Green Ronin está de parabéns pelo produto e parabéns pelo ouro na premiação do Ennie Awards de 2009.

Peço aos leitores desculpas pela resenha longa, mas não existe como descrever um bom livro e despertar o interesse em adquiri-lo sem ser extenso, e agradeço aqueles que tiveram a paciência de chegar até aqui.

 Você também pode gostar de ver:

O site oficial do Seriado: http://www.hbo.com/game-of-thrones/index.html

Link para saber onde comprar os romances em português: http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/3647893/?pac_id=121016

O site do jogo: http://www.greenronin.com/sifrp/

A GRR disponibiliza também um fast-play grátis pra quem quer experimentar as regras sem comprar o jogo http://grfiles.game-host.org/gr_files/SiF_Fastplay.pdf

Anúncios
 
6 Comentários

Publicado por em 23/08/2011 em RPG

 

Tags: , , , , ,

6 Respostas para “A Song Of Ice And Fire RPG – Resenha

  1. Torinks

    23/08/2011 at 2:16 PM

    Baita Resenha camarada! Acho que para qualquer fã esse livro é obrigatório!

    Só que que não saber inglês é uma baita desvantagem hoje em dia. Então pergunto: Por acaso sabe alguma data estipulada (provavelmente pela Jambô), ou um simples “comentário” de quando essa beleza será traduzida e cormecializada por aqui?

     
    • cacorpg

      23/08/2011 at 2:22 PM

      Ola Torinks

      Obrigado, que bom que gostou!

      Na Worldrpgfest 2011, aqui em Curitiba eu conversei com o Guilherme da Jambô e é logico que existe uma vontade de traduzir o livro do RPG, ainda mais com o lançamento das cronicas em português e o seriado da HBO estourando!, mas nos resta é aguardar pelas boas noticias, eu faço votos que a Jambô venha a traduzir e lançar esta linha e logo, mas precisamos entender que eles já possuem uma duas linhas na fantasia medieval e investir numa terceira seria dividir as frutas deles em três cestas! 😉

       
  2. Torinks

    24/08/2011 at 11:17 PM

    Realmente. Não tinha pensando por esse lado. Mas enfim, vamos esperar.

    Valeu Caco.

     
    • cacorpg

      24/08/2011 at 11:21 PM

      estamos sempre a disposição nem que seja pra trocar uma ideia apenas! 😉

      abrax

       
  3. Bob Nerd

    14/09/2011 at 5:24 AM

    Eu estava procurando por algo assim, que bom que encontrei. Excelente resenha, uma bela geral do sistema. Fico curioso para saber como seria uma aventura simulando realmente o clima do livro, todas as traições e intrigas, etc. Eu acho que jogar um D&D numa nova ambientação não é tão interessante assim. Jogar simulando o livro, aí sim deve ser diferente e excitante!

     
    • cacorpg

      14/09/2011 at 8:09 AM

      Bob Nerd

      eu estou com duas aventuras da editora pra jogar, assim que o fizer terei prazer em encontrar uma maneira de resenha-la sem dar spoilers!

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: