RSS

The Shotgun Diaries – Resenha

24 out

Mês das Bruxas, a chegada da Segunda temporada de “Walking Dead”  nos compele a trazer para vocês diletos leitores, Shotgun Diaries, um jogo simples de jogadas simples que através do medo procura dar a você muita diversão sem dar muito trabalho.

O livro é pequeno e simples em seu entendimento, em 30 minutos eu o li 2 vezes para escrever a resenha. O jogo é baseado em poucas regras fixas; a mais importante delas é que você precisa ser o cara que tira um seis no dado de seis faces, pois quem tirar o seis ou maior número deles no caso de uma rolagem contestada é quem irá narrar o que acontece.

O jogo só utiliza dados de seis faces, sendo que seis para o grupo são mais que suficientes. Não há necessidade de ficha de personagem, mas o jogo ficará mais interessante se cada jogador tiver uma pequena caderneta para si.

Para se iniciar basta escolher qual é o seu tipo de sobrevivente: astuto, perigoso, veloz, furtivo forte ou indefeso. Cada um destes tem um numero fixo de dados para rolar (4d6), sempre em atividades relativas ao seu tipo de sobrevivente. Outros dois fatores relevantes ao jogo são os contadores de medo e o relógio zumbi. Os contadores de medo impedem que você seja sempre “heróico” e o Relógio Zumbi  é o marcador de ações do Mestre Zumbi e é usado em ações contra os sobreviventes.

Como em todo jogo de Zumbis, os preceitos não são inovadores, você precisa sobreviver, você precisa de um refúgio para descansar e você precisa de provisões. Para conseguir cada uma destas coisas você assumirá riscos e com isso o jogo vai se desenrolando.

A explicação sobre como e porque os zumbis estão por aí não importa, o que importa é que eles estão por ai.

O jogo parece ser bastante empolgante, seu sistema é bem simples e pode ser jogado num grupo de até 6 pessoas (que sequer precisam ter algum conhecimento sobre RPG). Ele deverá ser especialmente bom para se mestrar em convenções, pois tende ser fácil de assimilar. Mesmo não sendo um jogo inovador no tema o sistema foi feito para cobrir as cenas mais comuns que podemos encontrar num “apocalipse zumbi”. O destaque vai para o diário que cada sobrevivente tem que escrever. Nele, são computados quantos dias sua personagem sobreviveu e, através dele, o Mestre zumbi pode conceder bônus especiais ao seu sobrevivente ou aos sobreviventes de outros jogadores.

Eu não vejo a hora de receber o meu conteúdo de lançamento especial da REDBOX Editora. Se você ainda não comprou o seu Shotgun Diaries edição especial de lançamento corra e clique no banner da REDBOX  que ele o levará diretamente para loja. Confira o que fará parte do Kit.

The Shotgun Diaries, livro de regras, com 20 páginas inteiramente coloridas, simulando um diário de sobrevivente e todas as informações para rolar o seu jogo;

  • 6 Cards de Arquétipos de personagens;
  • 6 Cards de armas brancas e ferramentas ou armas de fogo;
  • 48 Marcadores de suprimentos;
  • 36 Marcadores de relógio zumbi;
  • 20 Marcadores de refúgio;
  • 20 Marcadores de medo;
  • 6 dados de seis faces personalizados;
  • Cartão matriz de diário e apresentação de acessórios.

Mais o .pdf e um Brinde Surpresa. Tudo isso (menos o .pdf) numa belíssima caixa tipo lata, personalizada e selada até que chegue em suas mãos. Eu já possuía a versão .pdf em inglês do Shotgun e a versão nacional não fica devendo nada a ele, acrescendo ainda um módulo multimídia com vários sons bem bacanas para serem usados durante a aventura para dar ainda mais clima!

Ficha técnica:

The Shotgun Diaries Um jogo de interpretação de sobrevivência Zumbi – Wick, John / Edição Bras.Redbox Editora 2011( Ed. Original2009). 20 pags + encarte multimidia. Capa e Ilustrações Ramos, Daniel. Tradução Alessandro Jean Loro. Formato 20×15 cm, colorido.

Obrigado a Equipe da REDBOX Editora por ceder este .pdf e varias informações para que nós pudéssemos escrever esta resenha juntamente com o lançamento das vendas. Um obrigado  especial ao Mr. Pop (Antonio Sá Neto) que é sempre muito receptivo as solicitações do Eu Gosto de Jogar.

Game On!

Anúncios
 
5 Comentários

Publicado por em 24/10/2011 em RPG

 

Tags: , ,

5 Respostas para “The Shotgun Diaries – Resenha

  1. Ricardo Mallen

    24/10/2011 at 11:58 PM

    Ficou muito bacana a resenha Carlyle, acho que você cobriu todos os pontos. Aproveitei a vibe da pré-venda e republiquei no site do d30 um post que fizemos no antigo blog. Depois olha lá e comenta.

    Abraços,

     
  2. gilsonrocha

    25/10/2011 at 2:10 PM

    O sistema de regras requer todos esses recursos materiais para jogar?

    Gilson

     
    • cacorpg

      25/10/2011 at 2:51 PM

      Olá Gilson

      O sistema de regras é simplíssimo, tudo que voce precisa são: as regras, papel e lápis, todo o restante serve mais par deixar o jogo interessante no sentido da diversão, o próprio sistema diz que você pode usar dados ou uma folha de papel para marcar o Relógio Zumbi e marcadores de medo!

      ou você pode ate fazer seus próprios marcadores em casa! No Clube de wargames nos sempre estamos fazendo isso, para marcar o veiculo ou tropa atingida, para sinalizar se esta atolado ou simplesmente se ele já agiu naquele turno!

      Abrax

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: