RSS

Battleship: A Batalha dos Mares – Resenha

11 maio

Independence Day + Transformers + Pearl Harbor  + Clichês = Battleship: A Batalhas dos Mares. Infelizmente o resultado da equação não ficou bom!
por Hugo Fernando 

Senhoras e Senhores. Olha só o que eu escrevi no dia sete de fevereiro de dois mil e doze:

Trailer Battleship – Este deve ser uma bomba gigante. “Transformers” no mar com a Rihanna.”

Dúvida? Clique aqui e confira!

Pois bem, infelizmente eu estava certo!

Em função do filme Hankock eu tinha uma pequena esperança que Peter Berg fosse conseguir tirar leite de pedra ao adaptar o jogo de tabuleiro Batalha Naval, da Hasbro, para a telona. Mas não deu!

O filme é um somatório de vulgaridades como eu nunca vi na minha vida.

Você começa assistir e a sensação de que já ter visto aquelas cenas te persegue pelas próximas duas horas. Está tudo lá: O militar indisciplinado que vai salvar tudo, o companheiro rival que vai ganhar respeito, a gostosa que não serve para nada, o nerd otário que supera o medo, o pai carrancudo, o personagem que será sacrificado para dar emoção, o personagem que vai se redimir, cenas em câmera lenta, o ufanismo exacerbado dos estadunidense, estes são apenas alguns dos esteriótipos que posso citar. Pode apostar, a maior quantidade de clichês por segundo está neste filme!

Assista o trailer e você terá uma ideia do que eu estou falando:

A história é a seguinte, identificaram um planeta com as mesmas características da terra, com isso, desenvolveram um sistema de comunicação e começaram a enviar mensagens para tentar contato. Conseguiram, porém o objetivo dos “visitantes” não é pacífico, os alienígenas chegam para destruir e conquistar! Enquanto isso, o Alex Hopper (Taylor Kitsch) é um rapaz problema, ele invadiu uma lanchonete e foi preso, para evitar que ficasse na cadeia, seu irmão Comandante Stone Hopper (Alexander Skarsgård) consegue que ele entre na Marinha,. No dia que foi preso, ele conheceu Sam (Brooklyn Decker), a filha do Almirante Shane (Liam Neeson), foi amor a primeira vista e ele prentede se casar com ela. Passa o tempo, uma apresentação da marinha esta acontecendo junto com homenagens aos marinheiros da reserva. Ao sair com três Destroirs para um exercício naval eles se deparam com os invasores e a batalha tem início. Este são os 20 minutos iniciais do filme, deste ponto em diante os clichês começam a ficar mais e mais frequentes, você sabe exatamente o que vai acontecer, cena após cena! Não existe surpresa!

Acredito eu que este filme tem como público alvo base a molecada até uns 20 anos, como não viram Independece Day (1996) talvez o filme tenha alguma novidade. Para também atrair as meninas, colocaram a
Rihanna no papel de uma marinheira fodona, sempre tem que ter o tal do “Girl Power”, ela é o segundo militar mais casca grossa do filme, o primeiro é uma cara sem as pernas. A parte romântica da história fica por conta do casal Alex e Sam. Agora um momento que eu dei muita risada no cinena: Tem uma cena na praia que colocaram a Brooklyn Decker na mesma situação da Megan Fox no filme dos Transformers I e II! Olha só:

Esta é mais uma das cenas padrões para mostrar o quanto a mocinha é sensacional! Parece coisa dos produtores, uma vez que são os mesmos nos três filmes!

Para não falar que não gostei de nada, os efeitos especias e o áudio do filme estão muito bons. As batalhas no mar são convincentes, também gostei dos alienígenas, uma das armaduras que eles utilizam parece o Master Chief do Halo e outra parece com o Big Daddy do Bioshock!

Para mais detalhes e material você pode acessar ao site oficial do filme clicando aqui!

Jogo

Aqui aproveitaram para fazer a famosa dobradinha, filme + jogo. Na boa, assim como previ o filme, minha intuição diz que este jogo deve ser bem ruim. Juntou duas coisas que eu não gosto, shooter em primeira pessoa com jogos baseados em filmes. Se quiser dar uma olhada no potencial do jogo, assista o trailer abaixo!

Pra fechar, somando prós e contras pessoalmente eu não gostei do filme, com isso não recomendo. Como disse, por ter visto muitos filmes parecido com este, houve um momento que eu cansei durante a sessão. Sobre uma outra ótica, se você assistiu Transformers e gostou, vai sem medo este filme será ótimo!

That´s all Folks.
Twitter
FaceBook 

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 11/05/2012 em Cinema, Estréia

 

Tags: , , , , , , , , ,

2 Respostas para “Battleship: A Batalha dos Mares – Resenha

  1. leandro ferreira

    20/07/2015 at 10:42 PM

    Respeito sua critica mas em fim este filme e mil vezes melhor do que os vingadores

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: