RSS

Série de Suplementos de Pathfinder – Ultimate Equipment

06 set

Olá companheiros. Estamos continuando nossa maravilhosa série de artigos sobre os grandes suplementos de Pathfinder. Como todos sabem este é o espaço em que trato de comentar os RPGs fora do maistream mas volta e meia eu falo de um e de outro RPG que tá no radar então, na realidade, o meu critério é que seja coisa de qualidade. Por isso venho falar de um dos mais novos lançamentos da Paizo. Sim meus caros, vou comentar o recente Ultimate Equipment.

Bom, qual é o objetivo deste livro? O objetivo é apresentar ao mestre e ao jogador uma lista longa mas muito interessante de itens mágicos e mundanos para incorporar nas suas aventuras de Pathfinder. Temos armas, anéis, cajados, varinhas, venenos, escudos, armaduras, artefatos e itens fantásticos. Tem outras coisas que achei bem uteis, como por exemplo um gerador de tesouros aleatório por tabelas. Extremamente útil.

Bem, vamos aos meandros.

O primeiro capítulo trata de armas, armaduras e materiais diferenciados. Nada mágico aqui. Não tem muito segredo aqui neste capítulo, mas algumas coisas foram introduzidas aqui que geraram muitos conflitos nos fóruns da Paizo. Não vou citar todas, mas, por exemplo, o Club (Bastão) causa 1d6 de dano e tem crítico de x2. Usa uma mão, tem dano de contusão e é arma simples, ou seja, qualquer um pode usar. Já a nova Sword Cane é absolutamente igual, exceto que é de corte (slashing) e é arma marcial. O custo da primeira é zero. O da segunda é 45 ouros. Pelo o que voce pagou mesmo? Outra arma que causou comoção é a Temple Sword. Esta espada é uma 1d8 de crítico 19-20/x2. A descrição dela diz que ela pode ser utilizada junto com o Flurry of Blows do Monge. Mas nada diz se ela pode ser usada com duas mãos ou não. Inicialmente eu diria que sim, mas me diga, esse Flurry com duas mãos ainda é um Flurry ou é simplesmente o ataque armado do Monge com a tabela de BA do personagem? Fica uma zona meio nebulosa, não? Pra adicionar confusão ela fica na mesma tabela da Espada Bastarda, da Katana e do Machado Anão… Esta seção fala de armas de fogo também, mas não traz muitas inovações para os Gunslingers (acho que nem precisa, né?).

O segundo capítulo é o que mais gostei. Ele trata dos equipamentos para aventureiros como cordas, animais de montaria, kits (de disfarce, de escalada, de alquimia, de armas de pólvora, etc), instrumentos musicais, animais domésticos (e domesticados), roupas, comida, serviços (médico, banho, advogado, mensageiro, pedágio, etc), produtos alquímicos (criados pela classe Alquimista) e venenos. Definitivamente esta é uma seção bem saborosa do livro e muitas pessoas comprariam o suplemento só por causa dela (aquela coisa: Quer comprar os itens do personagem? Tó, escolha aqui. Prático!). E a utilidade não termina com a construção dos personagens jogadores. Essas parte vira uma constante fonte de consulta de preços para o mestre.

O terceiro capítulo de armaduras e armas mágicas. Nada de muito notável, exceto pela introdução de alguns bônus condicionais novos como Dastard e Champion. Um dá bônus de AC +2 para armaduras profanas e o outro pra coisas sagradas. Há descrição de vários itens mágicos. Alguns são bem apelões, então é necessário fazer bom balanço da aventura pra ver se aquele item deve ser introduzido no jogo ou não.

O quarto capítulo trata de anéis, varinhas e cajados. Nada de especial aqui exceto o conselho de que o mestre deve pesar muito o que dar aos personagens. Tem muita coisa desequilibrada nesta seção, te garanto, mas muita legal também…

O quinto capítulo fala dos Wondrous Itens. Apesar destes serem itens consideravelmente mais fracos que os das seções anteriores eles são, na minha opinião, muito mais divertidos. Neste capítulo temos, por exemplo, a Maçã do Sono Eterno (Apple Of Eternal Sleep). Este item, adivinhe, tem que ser criado por uma bruxa. E o efeito de sono eterno quebra por um beijo de alguém com sangue real. Enfim… tem também vassoura e tapete voador, caixa de música, bola de cristal, deck das ilusões, garrafa com Efreet preso, poção do amor, manual de golem,  buraco portátil (Toon?)… Mega divertido!

O sexto capítulo fala de artefatos. Estes itens não podem ser criados por jogadores. Ponto. Então a função deles é primariamente dramática, algo para ajudar o mestre a contar uma história. Eles podem parar nas mãos dos jogadores? É claro. Mas o foco é sempre o plot aqui… então se eles se tornarem um problema, eles desaparecem. É como se estes itens pertencessem à história, não ao personagem. Na mesma seção também temos a descrição de itens amaldiçoados e inteligentes. Não tenho muito a acrescentar aqui, exceto que eles são muito uteis ao mestre e num cenário que tem itens mágicos, estes itens pedem para serem utilizados. São uma aposta bacana para a aventura (principalmente os amaldiçoados… muahahahahaha!)

Conclusões finais: este é um bom suplemento? Sim, é. Traz novas mecânicas? Algumas. É essencial ter na minha biblioteca? Não. Este é um daqueles suplementos altamente utilitários, mas que se a grana tá curta, pode esperar.

É isso galera.  Espero que tenha curtido como eu curti. Ótimo fim de semana!!

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 06/09/2012 em Geral, RPG

 

Tags: , , , , , , , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: