RSS

Impossível – Resenha

26 dez

Um filme agonizante, que te leva do total desconforto a momentos felizes durante seus 114 minutos. Fantástico!
por Hugo Fernando

impossivel_7

Senhores e Senhoras

Em um passado bem recente, pudemos observar de perto todo o estrago que um tsunami pode causar. No período entre o natal e o ano novo de 2004, a costa da indonésia foi arrasada por ondas gigantes trazendo caos e destruição em um local que é considerado um paraíso.

Para quem não lembra, assista um vídeo real desta tragédia.

O filme espanhol (sim espanhol) “O Impossível” tem esta tragédia como pano de fundo. Temos aqui a história da Família Bennet, que vai para um resort passar suas férias, porém a tragédia os separam e eles precisam de força e esperança para conseguir se unir novamente!

Com uma introdução e ambientação rápida, a catástrofe já acontece nos momentos iniciais do filme e a agonia também. Comparando os vídeos da época com o que é mostrado nos cinemas, fica evidente o realismo da situação. Não tem bravata, muito menos um super-homem salvando a todos. Existe sim uma mãe desesperada tentando salvar seu filho e um pai aflito tendo que tomar decisões difíceis para conseguir achar a família.

Nos minutos iniciais, em que a onda varre o resort do mapa, todas as imagens são feitas com a câmera ao nível da água, isto te coloca dentro do tsunami. É exatamente este ponto que eu digo que da agonia. Quando a câmera submerge, você tem a sensação nítida de afundar junto. Os 20, 30 segundos que a tela fica escura, somente com aquele barulho de quem mergulha, faz com que você se remexa na cadeira várias vezes. Terrível!

As cenas pós-tragédia e nos hospitais são reais e cruas. Quem já se machucou de verdade ou já viu acidentes ao vivo sabe do que eu estou falando. Este é outro ponto que pode incomodar as pessoas mais sensíveis.

Assista o trailer e depois compare com o vídeo acima!


Quando a situação fica mais estável dentro do hospital, eu achei que o filme iria perder a mão. Lucas, o irmão mais velho, começou a ajudar as outras pessoas, achei que o filme iria virar um longa estilo “A corrente do Bem“, mas não, pode ficar tranquilo, isto durou alguns minutos e já voltou a focar na família.

Apesar de ser um filme produzido por espanhóis e baseado em uma história real que ocorreu com uma família espanhola, neste longa tudo ocorre com uma família Inglesa. Naomi Watts e  Ewan McGregor vivem os personagens principais. Eles estão impecáveis, gostei muito da atuação de ambos. Tanto nos momentos de sofrimento quanto nos de desespero eles convencem em muito. Com relação aos três filhos, aqui foi uma grata surpresa. Como existe um menino de 5 anos, geralmente é complicado conseguir uma atuação convincente de uma criança, isto não aconteceu. Quando o piá gritava ou chorava, eu realmente acreditei naquilo. Não foi necessário truque de câmera para não pegar o rosto do menino.

Hora da Verdade!

Filme totalmente indicado e fica como dica para esta semana morta entre natal e ano novo. Porém volto a comentar, se você fica impressionado com cenas mais fortes e reais, sugiro que espere para ver Detona Ralph na semana que vem!

That´s all Folks.
Twitter
FaceBook 

Anúncios
 
1 comentário

Publicado por em 26/12/2012 em Cinema, Estréia, Trailer

 

Tags: , , , , , , , ,

Uma resposta para “Impossível – Resenha

  1. hiago07041992 antunes

    12/02/2013 at 6:51 PM

    boa critica sobre o filme! gostaria de uma parceria com um blog que acabei de criar? http://maisfilmespramim.blogspot.com.br/
    entre em contato pelo meu email hi.antunes@hotmail.com

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: