RSS

Back from the dead… os jogos que ressuscitei nas férias – Parte I

18 jan

Revisitando uns “velhos amigos” percebi que possuia certas joias escondidas.

por Gustavo Vazquez Ramos

Como eu havia comentado semanas atrás, decidi diminuir minhas aquisições de jogo. Mas você não corrige um vício apenas eliminando-o – você terá mais sucesso substituindo-o! E isto eu estou fazendo: valorizando o que já possuo e que muitas vezes deixei passar despercebido.

1849

A série 18xx representa bem o termo “Heavy Games”: são jogos longos, tensos, em que muitos cálculos são feitos, a mente constantemente considerando inúmeras opções, além de possuir um tema não-distrativo: as peças são até mesmo simplistas, de forma que o jogo em si aflora, não sendo ocultado por gráficos ou temas.

Resumidamente, a ideia dos jogos 18xx é representar os primeiros anos das ferrovias, com os jogadores se tornando acionistas de empresas. Embora seja essencial a parte de construção de ferrovias e o lucro das linhas, o principal é a compra e venda de ações, com as alterações dos mercados de valores sendo decisivas.

O 1849 (Sicily) é um jogo feito alguns anos atrás em uma quantidade minúscula (menos de 200 unidades) que acabou caindo na net para quem quisesse fazer uma cópia caseira – o que eu decidi fazer na mão. Gastei aproximadamente 70 reais em impressão, plastificação e afins (um amigo meu chegou a fazer um outro 18xx artesanalmente e gastou mais de 150 reais). O mais difícil foi cortar um a um na tesoura mais de 100 tiles hexagonais!

Dezenas desses…

Tendo ficado pronto, acabou por adormecer dentro de meu armário por um longo tempo. Não é fácil encontrar parceiros para um 18xx, quanto mais ter uma tarde inteira livre só para ele. Ms enfim aconteceu: e nosso jogo levou quase 7 horas!

Mas que belas horas gastas! Esse é um daquele jogos que satisfazem – as horas passam rapidamente e no final se tem aquela sensação de completude. Creio que irá demorar para esse jogo voltar à mesa, mas a verdade é que uma partida inesquecível vale muito mais que dezenas passageiras.

JS

Destruction of Army Group Center

Este foi o primeiro wargame que comprei e joguei! Um belo dia eu estava vendo sobre board games (quem diria…) e acabei visitando a página da Decision Games, que estava com uma promoção – duas revistas Strategy & Tactics e/ou World at War pelo preço de uma. O porém é que você não podia escolhê-las!

Uma das duas revistas continha um jogo chamado The Black Prince que, jogando algum tempo depois, achei bastante fraco. Mas o que havia me chamado a atenção mais havia sido Destruction of Army Group Center. Joguei uma vez com um amigo meu e, depois disso, o jogo ficou anos guardado. Retirei-o das sombras para jogar com o Müller, que até escreveu um relato disso aqui.

O jogo possui um sistema quase tradicional de batalhas modernas: apenas um número nos counters, que serve para ataque e defesa; um movimento padrão para todos; algumas unidades de suporte aéreo; a sequência ataque/movimento/ataque; e outros mecanismos encontrados por aí (na verdade o jogo é um remake de um clássico da década de 70).

Um dos jogadores fica com os russos, que estão fazendo um contra-ataque à Alemanha, que por sua vez precisa se defender o máximo que puder. O jogo começa com ambos exércitos alinhados ao leste (e algumas poucas unidades ao sul, de onde o ataque ucraniano surje), e o objetivo russo é conquistar várias vilas (que dão 1 ponto de vitória), cidades (4 pontos) e uma parte da costa alemã (10 pontos). Tendo 31 pontos ou mais até o fim do jogo, a vitória é russa – se não, a vitória é alemã.

Como é frequente nas revistas da Decision Games, o jogo é um tanto longo, podendo levar até 4 horas para terminar. Mas ele possui uma dinâmica muito boa: inicialmente as unidades estão muito próximas e os combates são longos e lentos, as unidades tendo a força reduzida aos poucos. Conforme os alemães começam a perder suas bases inicias, eles recuam para as cidades; assim, se torna mais uma caça dos russos correndo atrás e se deslocando por entre as florestas. A partir de certo momento as unidades russas perdem seu movimento, o que distancia as unidades ainda mais. Desta forma os turnos vão passando cada vez mais rápidos. O jogo possui 9 turnos – os 3 últimos levam menos que o primeiro!

Este é um jogo que muitas vezes pensei em vender. Mas a verdade é que ele esteticamente é ótimo, o tema é muito interessante e possui um sistema coeso e fácil de explicar – se não fosse o tempo longo de jogo certamente serviria como introdução aos jogadores que ainda não conhecem bem os wargames. Embora não seja algo que eu espere jogar com frequência, é um jogo com muitas qualidades.

JS

Na semana que vem falarei sobre outros dois jogos que encontraram a luz. E se você estiver no espírito, visite meu blog onde faço a lista dos 5 melhores álbuns de 2012!

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 18/01/2013 em BoardGames, Geral

 

Tags: , , ,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: