RSS

Django Livre – Filme, Música e Jogos de Faroeste

18 jan

Depois de algum tempo, Tarantino acerta a mão novamente e nos brinda com um Faroeste “quase” Clássico!
por Hugo Fernando

django-unchained-poster2

Senhoras e Senhores.

Acho que sou um dos poucos seres no universo que não gostou de Kill Bill e Bastardos Inglórios, com isso, para mim, os filmes sensacionais do ex-balconista de locadora são Cães de Aluguel e Pulp Fiction (duplo amém nesta hora). Django Livre não está no mesmo patamar dos dois últimos filmes citados, mas está muito acima dos dois primeiros.

De cara já gostei do tema, qualquer coisa com faroeste fica bom! Da mesma forma que Kill Bill surgiu quando Tarantino filmava Pulp Fiction, Django Livre surgiu quando ele dirigia Kill Bill. Como nosso amigo diretor não aguenta ficar de boca quieta, lá em 2004/2005 já era sabido que ele tinha intenção de filmar um western!

Django livre nos trás a história de um escravo que foi liberto e agora trabalha como ajudante de um caçador de recompensas (Christoph Waltz). Ajudando ao Dr. King Schultz a buscar os assassinos Brittle, Django tem o objetivo paralelo de achar sua esposa Broomhilda, que foi comprada por Calvin Candie (Leonardo DiCaprio). Neste cenário no interior dos Estados Unidos do final do século XIX, se desenrola toda a trama.

Sobre os atores!

Ok, vamos partir da ideia que o ator principal do filme é aquele que interpreta o Django, Jamie Foxx certo? Certo! Mas como era de se esperar são outros três atores que roubam a cena! Christoph Waltz já havia ofuscado Brad Pitt em Bastardos Inglórios, e, novamente, repete o ato neste filme. Em toda a cena que está presente ele se torna o foco! Não foi atoa que ele ganhou o globo de ouro como ator coadjuvante deste ano. Leonardo DiCaprio é outro que está muito bem. Ele já não tem mais que provar que além de um rosto “bunitinho” é um ótimo ator. Para fechar o trio de ferro, Samuel L. “Módafuquer” Jackson. Pessoas, que raiva que eu fiquei dele durante o filme. O cara é sagaz e sacana, ruim que só ele! E antes que pergunte, sim, Jamie Foxx está bem no filme!

Assistam um dois 345345 trailers que sairam para este filme

Sobre o Diretor!

Quando eu assisti Pulp Fiction pela primeira vez, eu era novinho, nunca tinha visto nada parecido com aquilo e com isso minha cabeça explodiu! Mais tarde, à medida que assistia mais e mais filmes, ficava claro que  Tarantino tinha uma influência absurda de pesos pesados com Kubrik, Kurosawa, John Ford entre outros. A princípio achei que ele não tinha seu estilo próprio de filmar uma vez que ele copiava os outros, porém, depois de pensar ainda mais, concluí que o estilo do Tarantino e contar uma história fazendo referência e homenagens. Assim como em Kill Bill ele utilizou o universo do Kung Fu dos anos 70, agora ele vai fundo nos Faroestes e fica claro a homenagem aos mestres do Western Spaguetti como Sergio Leone, Sergio Corbucci entre outros. Para mim, um fato marcante deste diretor é o sangue. Dos milhões de dólares que ele gasta na produção, uns 94 % deve ser com sangue! Neste filme não poderia ser diferente, tem de todo tipo e para tudo que é gosto!

Li um post bem bacana no Cinema Alerta que fala dos filmes que influenciaram Django Livre, como diz o título, serve como um “esquenta” antes de ir ver o filme!

Com relação ao “bafafá” dizendo que este filme é racista ou não, sinceramente, nada do que passou ali foi inédito. Os mesmos termos, as mesmas situações eu já vi em outros filmes, inclusive na cultuada e premiada série Raízes, aquela do Kunta Kinte! Se retratar a escravidão for crime, novelas no estilo Sinhá Moça não podem mais passar na TV. Li um argumento o cara disse que a escravidão foi um passado que manchou a história dos Estados Unidos e deveria ser esquecido. Não concordo nenhum pouco com isso. Se você esquece os erros que cometeu no passado você pode vir a repeti-los no futuro. Isso sim é um problema!

Voltando a falar do estilo do diretor. Uma das melhores coisas que tem neste filme, nos outros também, é a trilha sonora. Tem de tudo, desde temas originais dos filmes de faroeste clássicos até Rap atual. Achei no Sound Cloud uma trilha ótima. Todas as músicas do filme estão aqui, e o melhor, elas são comentadas pelo próprio Tarantino. Ele explica por que colocou a música no filme, de onde tirou e tudo mais. Vale muito a pena escutar!

Destaque especial para a próxima música, His name is King! Clique play, escute o baixo bem marcado e chore de emoção!

A hora da verdade falando se Django Livre vale ou não vale está lá embaixo, antes vamos fazer um “break” e falar de alguns joguinhos!

Como o clima é de Faroeste, resolvi colocar a lista dos cinco jogos “top of mind” deste gênero. Veja, eu disse “Top of Mind”, não estou falando que são os melhores!

Outlaw – Do saudoso Atari, este jogo me divertiu bastante, afinal era para duas pessoas e fora títulos de esportes, eu não tinha muitos jogos de um contra outro!

Gunfright – Meu data corder do MSX carregou muito este jogo. Tinha que ficar andando pela cidade a busca do bandido. O problema é que não havia mapas, e você tinha que seguir umas setas para achar o fora da lei. Os 3, 4 primeiros eram fáceis de localizar, a partir do sexto a coisa complicava!

Outlaws – Um dos melhores jogos para PC que joguei na vida, este título foi um clássico dos anos 90. Com uma história sensacional e a técnica de sell shading muito bem aplicada, este jogo me garantiu boa diversão por muito tempo. Volta e meia instalo ele aqui para me divertir! Outro destaque é o segundo CD que tem a trilha sonora! É Primorosa, não devendo nada para os clássicos filmes! A história lembra ao filme “Os Imperdoáveis 

Red Dead RevolverEscrevi um post falando que este jogo espetacular estava disponível na PSN, de uma olhada e confira!

Red Dead Redemption – Jogos de videogame já despertaram várias emoções em mim. Já gargalhei jogando Monkey Island. Já fiquei tenso jogando Resident Evil. Já senti raiva jogando o turbo tunnel em Battle Toads. Mas nunca chorei jogando. O mais próximo que cheguei desta emoção foi com o final de Red Dead Redemption, este sim, é o melhor jogo de Faroeste já criado!

Hora da verdade.

Está garantido o filme do fim de semana, ótimo filme, história boa e o estilo Tarantino para ser apreciado. Dica, se for sentar na primeira fila leve um guarda-chuva para não sair respingado de sangue!

That´s all Folks.
Twitter
FaceBook 

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 18/01/2013 em Cinema, Estréia, Música, Trailer, Vídeo Game

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , ,

2 Respostas para “Django Livre – Filme, Música e Jogos de Faroeste

  1. Fernanda D Abelardino

    04/02/2013 at 11:32 AM

    Assim.. rs, eu nao gostei mto do filme pq nao é meu tipo de filme (mto sangue pro meu gosto, a ponto de ser meu engraçado).
    MAs o filme esta mto bem feito mesmo! ótima escolha do elenco.
    E a cada filme vejo que o leonardo di caprio se supera. Nunca o achei um rostinho bonito, sempre o vi como excelente ator. E nesse filme esta bom demais.
    Samuel entao, nem se fala, rs. De cara deu pra ver que ele era o vilão, rs.

     
    • Hugo

      04/02/2013 at 9:01 PM

      Desde que eu assisti Gilbert Grape eu acho o Leonardo DiCaprio um ótimo ator, o problema é que os estúdios tentaram, e conseguiram, vender ele somente como um galã em Romeo + Juliet e Titanic, isto gerou um estigma contra ele. Foi necessário muito trabalho é ótimas atuações para ele mostrar que realmente é bom. Hoje ele não precisa provar mais nada. O Martin Scorsese não iria escolher um ator ruim para fazer vários filmes em sequência!

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: