RSS

O Fênomeno Zombicide! – Agora no Brasil

03 abr

Apos 2 semanas sem postar por problemas técnicos eu volto a net e me deparo com varias novidades, bem ai nada de estranho, mas algumas coisas são bombásticas confira o jogo Zombicide e o que vem junto com ele por @cacorpg

Em seis de Abril de 2012 a equipe da CoolMiniOrNot lancou no Kickstarter o seu jogo Zombicide pedindo pouco U$ 20.000 e em pouco mais de 30 dias haviam arrecadado cerca de U$ 780.000 ou seja quase 40 vezes mais que o necessário previsto para colocar o jogo no mercado, como em vários financiamentos coletivos a coisa cresceu, milhares de extras foram adicionados a ideia básica e o projeto foi um grande sucesso na indústria de Boardgames.

download

O jogo Zombicide em si é um jogo simples, mas com uma temática da moda, os jogadores interpretam sobreviventes e tentam escapar do apocalipse zumbi do tabuleiro, que por sua vez é recheado de recompensas e zumbis! Existem no mercado vários outros jogos com este mesmo preceito. E uma rápida pesquisa na BoardGameGeeek nos dá uma lista generosa. Zombies!!! Eaten By Zombies, Zombietown, Last Night on Earth, Munchkin Zombies e Zombies contra aliens, ou werewolves ou seja é um tema popular e altamente explorado pela indústria do entretenimento, e também impossível de listar todos os jogos que ja usaram esta temática.

Então o que fez o Zombicide ser o grande mega hit da indústria de jogos de tabuleiro em 2012? Certamente a paixão pelos boards vem crescendo não só no Brasil como também no mundo inteiro e isso e somente isso não justificaria o tamanho aumento pela procura. Correndo o Risco de ser repetitivo na afirmação que está na moda ser “nerd” ou “Geek”, hoje em dia todo mundo tem um amigo nerd que saiu debaixo da mesinha do computador, estes magrelos, ou obesos excessivos pululam entres as pessoas “normais” cavando seu espaço ruma a uma vida de eterna felicidade, onde na Nova Ordem Mundial podem arrumar namoradas, parar de sofrer “bullying” e serem felizes juntos de seus iguais.

Mas tudo isso é apenas o espelho d’água de um profundo lago, um lago que antes nunca tinha sido explorado, o lago do “eu posso ser um game designer, mesmo não tendo dinheiro”, pois minhas ideias encontrarão milhares e milhares de apoiadores e se tornarão realidade. Este é o mundo utópico dos financiamentos coletivos.

Mais vez uma bato na tecla que não concordo que uma empresa estabelecida, peça o meu dinheiro para gerar capital em benefício próprio, apenas por me oferecer um brinde legal ou por levantar a bandeira do estou fazendo pelo bem da comunidade, bem da comunidade é o %#@*!!!. Cada um só faz as coisas para os outros a fim de se beneficiar de uma forma ou outra de suas ações, então por favor vamos lançar jogos sem hipocrisia!

Novamente estou feliz e triste aos mesmo tempo, pois gosto quando novos jogos vem ao mercado, e novamente a CoolMiniOrNot veio ao Kickstarter pedir a ajuda para colocar no mercado as expansões do jogo Zombicide, e ira lucrar mais alguns milhões, sem ter que sequer ter arriscado parte do dinheiro ganho na primeira campanha! E graças a você apoiador que pagou pelo novo jogo e também pelos extras é que ela é uma grande sucesso, parabéns otário! Pela segunda vez o Zombicide vai ao Kickstarter pedindo U$25,000 e agora arrecada a bagatela de um pouco mais de U$ 2.250.000 ou seja cerca de 90 vezes o valor necessário!

Peço aqui desculpas publicas a todos os que contribuíram para o financiamento do Zombicide: season 2, por ter usado a palavra otário a fim de identifica-los, a palavra no texto tem apenas uma conotação provocativa, a fim de trazer mais argumentos para esta discussão. Todos vocês tem o meu respeito independente de suas opiniões  e são meus colegas de jogo acima de tudo, fazendo parte da minha mesa ou não!! 

Estou aproveitando a deixa aqui para mostrar minha opinião já que a empresa Galápagos Jogos anunciou que irá trazer o Zombicide ao Brasil em breve, e como todos devem saber a Galápagos se firmou no mercado brasileiro através também do bem sucedido financiamento coletivo do jogo Summoner Wars, mas diferente de outras empresas ela parece realmente acreditar que o mercado brasileiro é lucrativo e não pede esmolas para lançar os seus jogos, entre eles Munchkin e A Guerra dos Tronos Card Game. Esta, ao meu ver é sim uma empresa que realmente acredita no mercado, está investindo para lucrar, mas assume o risco de fazê-lo com seus próprios recursos e certamente se dependesse de mim ela seria sempre um sucesso!

Minha postagem hoje parece ser um pouco contundente, mas eu gostaria que todos os que estão envolvidos no crescimento do mercado brasileiro de jogos, seja de RPG, vídeo games, tabuleiros ou cartas que refletissem sobre como respeitar seus futuros consumidores, e mais uma vez afirmo, não sou contra financiamentos coletivos, afinal eu mesmo sou o financiador de vários, eu sou contra a comodidade e o mau uso dos mesmo! Se você tiver uma boa ideia para um jogo, não tenha medo, monte seu projeto e eu estarei lá para lhe apoiar e colocar sua ideia no mercado, mas não se esqueça que uma vez lá, ou você vence ou morre, exatamente como no Jogo dos Tronos!

Game On!

Ps: sim já estou aguardando as pedradas, quem tem janela certamente sabe que elas um dia quebram, e minha opinião é carregada de um ponto de vista peculiar, portanto let’s play!

Anúncios
 
16 Comentários

Publicado por em 03/04/2013 em BoardGames, Cardgames, Lançamento

 

Tags: , , , , , , , , , ,

16 Respostas para “O Fênomeno Zombicide! – Agora no Brasil

  1. Cristiano Lagame (@cristianolagame)

    03/04/2013 at 10:55 AM

    Nossa! 40x mais?! E ainda tem gente que diz que financiamento coletivo não funciona…
    Muitas novidades mesmo, obrigado pelas informações Caco!

     
    • cacorpg

      04/04/2013 at 1:58 AM

      Cristiano, o papel da gente é gerar informação mesmo, ainda que seja apenas replicada! 🙂

       
  2. Franciolli Araujo

    03/04/2013 at 11:09 AM

    Outro dia, enquanto almoçava, ouvia no programa da Fátima Bernardes, um economista se não me falha a memória do SEBRAE, falando sobre várias formas de capital e havia entre os convidados uma garota que financiou a produção de seu livro através de um financiamento coletivo.
    O Economista argumentou sobre projeções de mercado, projeções de venda, aceitação do público e capital de giro e quando falou em capital de giro, minha primeira reação foi “pera aí, essa cara sabe do que está falando? Um financiamento coletivo não tem a função de produzir capital de giro ou mesmo lucros, mas sim enriquecer a qualidade do produto e os add ons oferecidos aos participantes”
    Quando vi o Pedro Leone perguntando porque você disse em seu artigo “E graças a você apoiador que pagou pelo novo jogo e também pelos extras é que ela é uma grande sucesso, parabéns otário!” eu parei e pensei “pera aí, quer dizer que uma empresa estabelecida, vai colocar um produto no mercado, um produto que também já está estabelecido, consegue arrecada uma fortuna no financiamento coletivo e eu vou receber todo o dinheiro que investi?”
    Sei que sou ingênuo com isso, mas a empresa ganha MUITO com a produção em massa. Não posso sequer estimar a parcela de LUCRO que a empresa teve com esse financiamento, sem investir absolutamente nada.
    Alguém mais entendido do que eu poderia me dizer se estou errado, mas isso seria uma prática de especulação, ou não?

     
    • cacorpg

      04/04/2013 at 1:59 AM

      é mais complexo que isso Franciolli mas é mais ou menos por esse caminho!

       
  3. Drago

    03/04/2013 at 11:15 AM

    Daria para fazer um looongo de texto de tão equivocado é esse texto, mas seria muita coisa. Vou apenas expressar isso: Discordo em tudo, sem excessão. Até o jogo da Galápagos não seria possível sem o financiamento coletivo, mas vou deixar essa para vc pensar. 😀

    Mas continua escrevendo, que é assim que a gente melhora em tudo (politica, ética, consumo, futebol, tudo!). Parabéns pelo blog!!!! Abs!

     
    • cacorpg

      04/04/2013 at 2:02 AM

      Obrigado Drago, certamente continuarei escrevendo! a diferença de opiniões é uma benção e algo extremamente desejável, certamente eu aprendi muito sobre muitas coisas conversando sobre este post, ouvindo diferentes opiniões e pontos de vista me ajudam a balizar minha argumentação, neste e em outros assuntos!

       
  4. Diogo Nogueira

    03/04/2013 at 11:42 AM

    Poxa, eu vou ter que discordar de você Caco, cordialmente.

    Eu não vejo nada demais em uma empresa estabelecida utilizar o financiamento coletivo para lançar seus produtos. Não vejo ninguém sair perdendo, só vejo que todo mundo sai ganhando. A empresa não se arrisca, não toma prejuízo (mentira, as vezes até toma porque promete mais do que pode cumprir e acaba se ferrando), tem um retorno imediato sem precisar esperar, e é capaz de se programar melhor. Por outro lado o consumidor adquire um produto por um preço abaixo do mercado, com chance de ganhar coisas a mais, com o seu nome no livro em agradecimento e se sente parte de um processo. Se sente apoiador do mercado.

    Todos nós queremos que o mercado seja saudável e prósperos, com empresas que não desaparecem depois de um ou outro lançamento, e acho que o financiamento ajuda a fazer isso. Se a empresa não precisa se arriscar, gastar uma grana para depois não vender, e acabar prejudicando suas outras linhas, isso não é bom? Eu acho ótimo.

    Eu não acho que o consumidor está sendo enganado. Em nenhum lugar eu vi uma empresa falando que o financiamento é sem fins lucrativos. O financiamento é para viabilizar um projeto, e um projeto só é viável se recompensar seus criadores, se der lucro, na minha opinião.

    No final acho que o isso funciona como uma pré-venda diferente. Mais segura, com maior participação, com chances de ganhar mais coisas, muitas vezes mais barata, mas é mais demorada também.

    Mas é aquilo, você tem direito a sua opinião. Eu acho ótimo esse novo estilo de lançar coisas.

     
    • cacorpg

      04/04/2013 at 2:14 AM

      Salve Diogo
      Como já deixei bem claro sua discordância é muito bem vinda, sendo ela feita de maneira cordial só tenho prazer em conversar e discutir!

      Então e nos entramos no ponto de certo ou errado, creio que não vamos mesmo sair deste estagio, conversas com amigos ligados a outras áreas , economia principalmente criaram minha atual opinião através de tecnicalidades, sobre mercado, formação de empresas, risco entre outros assuntos.

      Não sou contra FC, mas creio que se não há um mal uso do mesmo, é apenas uma questão de tempo ate que aconteça. Apenas outra opinião minha!

      Gosto de ver quando novas e boas ideias surgem no mercado, e apoio todas que julgo serem merecedoras, como uma grande maioria de pessoas do face se esforçou pra deixar bem claro, que se não quer , não compra.

      Como o Rocha já esclareceu la na lista de blogs FC e pre-venda são diferentes, e ao dizer creio que ele não quis apenas ressaltar a tecnicalidade da diferença e sim que são opções econômicas diferentes! Onde numa a empresa age como empresa, e na outra ela aguarda que alguém se responsabilize com os custos do produto que ela ira lucrar!

      Eu vejo um mau uso de uma boa ideia só isso! uma especie de exploração da boa fé do consumidor!

       
  5. Rafael Esberard

    03/04/2013 at 11:58 AM

    O problema me parece que vocês estão ficando impressionados com o volume arrecadado, por principalmente não saberem ou não entenderem qual teria sido também o lucro se o processo tivesse sido feito na forma normal/padrão de publishing. Kickstarter funciona muito mais como uma ferramenta de aprovação e marketing do que de lucratividade para estas empresas, aconselho vocês assistirem um dos últimos vídeos de Tom Vasel que ele pergunta a diversos Designers, Publishers (inclusive da Cool Mini or Not) dentre outros do mercado suas opiniões…

     
    • cacorpg

      04/04/2013 at 2:21 AM

      Olá Rafael
      Muito bom o vídeo do Tom Vasel mesmo, mas não a postagem não tem nada haver com números, eles só servem para exibir parâmetros de comparação.

      se uma empresa estabelecida investir 500 dólares ( ou reais) e através de suas ferramentas ( marketing, qualidade responsabilidade ambiental etc) vier a lucrar 5.000 eu bato palmas e pago pau!

      só não consigo achar bonitinho, uma empresa que já é um sucesso por ter lançado o produto x através do financiamento coletivo, aparecer de ano em ano pra pedir o meu dinheiro pra lançar o x season 2 ou x season 3! quer emplacar no mercado o faça por merecimento, se o produto for bom, tiver qualidades diversas, preço competitivo certamente estarei la comprando! so isso!

       
  6. Libonati

    03/04/2013 at 8:08 PM

    Mamilos… polêmicos… mamilos!!!
    Carlyle bem sabe vc que participo de financiamentos coletivos, exclusivamente porém os que me interessem e valham a pena! Nunca comprei nada para ajudar o mercado, pq um mercado que precisa de ajuda, esmola, não merece viver, é melhor que seja logo decapitado.
    Penso que o financiamento coletivo é uma puta ferramenta… um trosso fenomenal, uma alternativa foda aos meios tradicionais que pode tirar pessoas com boas idéias do anonimato e as catapultar para o sucesso (não é o meu caso).

    Porém, quando vejo empresas como a Days of Wonder, que é dona simplesmente da fraquia do Ticket to Ride, lançando um financiamento coletivo prum aplicativo de iOS para o seu outro gigante Small World, eu fico perplexo e me pergunto, por que diabos vcs estão aqui no kikck starter? Vejam, o software já estava pronto e tenho certeza que seria feito mesmo que a campanha tivesse dado errado, pq o aplicativo original foi um sucesso e eles mesmo afirmam isso.

    Mas, existe muito mais entre o céu e terra doq supõe nossa vã filosofia!! Merchan grátis… jogos em financiamento coletivo bombam no hotness do bgg, por exemplo. Pessoas que estão participando mandam convites pra as outras em listas de email para participarem do financiamento, seja pq a campanha precisa ser paga ou seja pq ela quer aquele strecth goal foda

    Essa editora do zombicide talvez tivesse pouca grana para lançar um sucesso audacioso como é o jogo e o receio se abateu sobre eles. Mas, sinceramente, quem aqui tem coragem de afirmar que esses caras corriam o mínimo risco de não fazer dar certo, depois do sucesso de vendas que foi o season 1 do jogo?

     
  7. cacorpg

    04/04/2013 at 2:28 AM

    Well como já lhe disse pessoalmente, eu também participo de financiamentos coletivos, desde que conheci o formato acho uma ideia foda demais, e sempre que acho que há merecimento da ideia ir a frente vou lá e apoio. Sou extremamente consumista, no quesito de jogos então nem se fala!

    Mas é como você falou, e triste ver empresas querendo embolsar mais dinheiro sem o ônus e a responsabilidade de ser empresa! Uma coisa é minimizar riscos, outra coisa é não arriscar nada e lucrar com a boa vontade de quem ela deveria cuidar, ou seja seu publico fiel!

    Sim em outras conversas consigo perceber que um grande atrativo as empresas é a publicidade gerada com o hype em torno das recompensas, mas mesmo assim não creio que isso, só isso mude minha opinião!

     
  8. Fabiano Pedroso

    04/04/2013 at 10:02 AM

    Caco minha opinião não vale nada, mas já que você pediu aqui vai.

    Não acho que o publisher do Zombicide devesse usar o KK para a segunda versão do seu jogo, assim como não acho legal que a Days of Wonder, FFG, Rio Grande, GMT, Queen ou qualquer outra empresa desse tamanho use o KK para vender seus jogos, mas também não vejo nada de errado eles usarem a ferramenta. Vejam bem não acho legal, mas não é errado. E quem compra lá (vou falar compra pq é isso que acontece nesses casos) se beneficia do projeto pois acaba recebendo mais pelo mesmo preço que encontrará nas lojas depois, então também não estão errados e nem são otários. Você se engana em pensar que a Cool Mint or Not vai pegar a grana do KK pra produzir o jogo, eles disseram em uma entrevista ao Tom Vasel que o produto já está 90% pronto quando eles abrem o KK. Então para essas empresas o KK é uma puta ferramenta de marketing e de pré-order e nada mais do que isso. Acho que seria muito mais justo que empresas desse tamanho usassem o velho (mais de 10 anos) modelo de P500 da GMT, é exatamente o mesmo esquema só que sem os strecth goals do KK, ou seja uma ferramenta de pré-order.

    Agora não dá pra demonizar o KK, eles são apenas uma ferramenta, e que diga-se de passagem ajuda muita gente a produzir coisa boa. Eu particularmente vou tentar me manter afastado desses grandes projetos como o Zombicide e prefiro investir num Zogar´s Gaze que dificilmente seria produzido se não fosse pelo KK, ou seja, vou apoiar projetos que precisam da ferramenta pra passar a existir.

     
  9. Rafael Moreno (@rafaelsmoreno)

    04/04/2013 at 10:55 AM

    “Cada um só faz as coisas para os outros a fim de se beneficiar de uma forma ou outra de suas ações, então por favor vamos lançar jogos sem hipocrisia!” Bem vindo ao capitalismo, o maior gerador de jogos de tabuleiro de todos os tempos, com designers criando jogos visando o lucro. Quem não goste que fique só com o Xadrez, como os soviéticos na época do comunismo!

     
  10. herrmiller

    05/04/2013 at 6:49 PM

    acho um absurdo apoiar ( dar dinheiro ) para financiamento coletivo para EMPRESA COMERCIALMENTE BEM ESTABELECIDA, quer dizer, isto é para AJUDAR quem não pode, quem tem uma grande idéia, alguma sacada legal, e não tem como , etc e tals, isto é INTUITIVO, senão é quase como : vamos FINANCIAR o próximo lançamento da APPLE, e ganhar um brinde, KKKK !

    FINANCIAMENTO COLETIVO me parece uma coisa que AS PESSOAS que colaboram, deveriam se tocar que é para uma CAUSA NOBRE, e não para ficar dando dinheiro para os outros lucrarem a toa !

    meus dois centavos a respeito.

     
  11. vazquezramos

    06/04/2013 at 10:25 AM

    Concordo com o Müller. Eu já participei de vários projetos do Kickstarter completamente independentes, onde era a questão de tudo ou nada, o cara pedindo valores até baixos para fazer o sonho dele se realizar ou ele voltar a trabalhar no emprego de sempre dele. Apoiamos dias atrás um jogo feito por um cara que ou fazia o jogo ou voltava a trabalhar como encanador (sério). Isso acredito ser a coisa mais bonita de sites assim. Se você faz isso por uma companhia grande, ok, beleza, é bacana receber brindes e tal. Mas é preciso admitir que você é então apenas um COMPRADOR, um USU´ARIO, como o cara que vai em um loja e compra coisas. Em casos de empresas menores ou criadores independentes, você está sendo um FINANCIADOR, um PRODUTOR das artes, alguém que sacrificou o dinheiro para realizar o sonho de outra pessoa.

     

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: