RSS

GUERRA DE BRINQUEDO – Relato de batalha medieval

06 abr

por HerrMüller 

Usando miniaturas na escala 28mm, do jogo Warhammer Fantasy da empresa britânica GW, montamos exércitos para jogar batalhas históricas.
Usando o livro de regras WARHAMMER ANCIENT BATTLES e o suplemento para Idade Média ARMIES OF CHIVALRY para configurar uma partida ambientada na GUERRA DOS 100 ANOS, entre França e Inglaterra, acompanhe abaixo o relato e as fotos desta divertida GUERRA DE BRINQUEDO :

Image

02/10/11
WARHAMMER ANCIENT – GUERRA DOS 100 ANOS
Geraldo = França
Müller = Inglaterra

Vitória = Inglaterra

Image
França a esquerda, de baixo pra cima : besteiros , canhão , leva , cavaleiros , lanceiros , besteiros, por trás 2 arcabuzeiros
Inglaterra a direita , idem : arqueiros , canhão , lanceiros , cavaleiros , arqueiros no castelo

Os franceses chegaram pela manhã, assaltaram o velho moinho, destruíram o local e passaram todos os habitantes no fio da espada , o corpo do moleiro foi dependurado no alto do que restou do telhado.

William de Baskerville do alto das muralhas do pequeno castelo viu os franceses iniciarem as manobras para sitiar o local, seu sangue ferveu ao lembrar da morte do pai no mês anterior, não vacilou em ordenar que suas tropas se movimentassem, reunião seus cavaleiros , ordenou que metade dos arqueiros acompanhassem os armeiros venezianos para a crista da colina na frente do castelo , o restante dos arqueiros tomou posição nas ameias da muralha.
Lanceiros foram enviados para dar cobertura, e uma hora depois ele saiu esporeando seu alazão liderando a formação de cavalaria, os elmos reluzentes na quente manhã de sol.

Image
linha francesa
Image
linha inglesa

Os ingleses tomaram a iniciativa não obstante os franceses tencionassem faze-lo, o ribombar do pequeno canhão inglês se fez ouvir e a fumaça se ergueu no topo da colina, imediatamente foi seguida pela chuva de flechas dos arqueiros naquele setor, a formação de lanceiros avançou pelo meio da campina, tentando alcançar o pequeno bosque no centro.
A orgulhosa cavalaria francesa avançou em sua direção, no velho moinho os besteiros e os armeiros genoveses revidaram o fogo inimigo com quadrelos e a bala de canhão.
No outro lado avançaram por trás do bosque uma pequena unidade de besteiros, cobertos por uma compacta formação de lanças, e pelo fundo do campo duas unidades de escaramuçadores munidos de arcabuzes.
William de Basquerville seguiu pelo flanco direito, pela ala dominada pela presença do castelo, em formação de coluna e cavalgando celeremente, acabou desviando para a direita numa manobra evasiva quando os quadrelos de besta derrubaram um cavaleiro, continuou nesta manobra por mais um tempo, na retaguarda mais um cavaleiro tombou atingido por um quadrelo de besta na altura da cintura.
Os arqueiros guarnecendo o castelo abriram fogo, as flechas zuniram e voaram num amplo arco no céu, e começaram a atingir os besteiros atrás do bosque.
Os arcabuzes inimigos abriram fogo por trás, quando William já tinha reformado a formação em posição de batalha e começava o avanço para carregar naquele setor.

Image
o inicio das manobras, basquerville a direita ladeando as muralhas, d’avéc avançando na orla esquerda do bosque

Enquanto as bestas, arcos e arcabuzes agiam em meio as manobras de cavaleiros e lanceiros de ambos os lados no lado direito por trás do bosque, na esquerda, se avizinhavam os momentos mais dramáticos da batalha para o exército francês, entre as trocas de flechas e tiros de canhão, a cavalaria francesa quando ia disparar impetuosamente para carregar aquele setor, teve seu ímpeto quebrado quando viu a montaria do seu general tombar violentamente ao chão atingido por uma bala de canhão!
Foi um momento mágico para os ingleses, que do alto da colina romperam em gritos selvagens, levantando os arcos e lanças e urrando em uníssono, brados de : São Jorge !

A lança de cavalaria francesa ficou atônita por alguns instantes, mas Pierre de Lascaux desmontou rapidamente e retirou Guillaume D’Avéc debaixo do cavalo, incosciente e gravemente ferido mas ainda vivo.
Padioleiros chegaram correndo pra ajudar e logo levaram o pobre infeliz para o hospital de campanha montado no velho moinho.
A moral baixou em todas as unidades, uma leva de campesinos franceses que acabara de sair do moinho simplesmente virou as costas e correu apavorada, seguida pelos besteiros genoveses que abandonaram a proteção das muretas do moinho e correram para trás da construção.

Mas a gritos alucinados de – Montjoie St. Denis! A cavalaria francesa disparou a frente, com fúria e ódio num rumo direto a colina onde estava a artilharia inglesa, ignorando temerariamente a formação de lanceiros ingleses situada no meio do campo, o resultado não poderia ser outro, os lanceiros ingleses mudaram sua trajetória em direção ao bosque e carregaram no flanco da cavalaria francesa.
Relinchos desesperados dos cavalos empinando e escoicenado em meio ao tinir de metais, e as lanças estocando impiedosamente, uma luta brutal e furiosa, que os ingleses levaram a melhor, a cavalaria francesa rompeu e recuou com rapidez, os lanceiros nem tentaram perseguir e vendo que os escaramuçadores inimigos agora contornavam o bosque daquele lado vindo ajudar se preparam para o combate.

Image
falange inglesa carrega o flanco da cavalaria francesa

A cavalaria francesa acabou se recuperando quando Pierre Lascaux voltou a formação após verificar que Guillaume poderia sobreviver, ele exortou seus homens a luta, a formação cerrou fileiras e galopou novamente para o lado inimigo, mas agora os arqueiros ingleses sabiam o que os esperava que a cavalaria inimiga atingisse a sua posição, e eles concentraram seus disparos contra ela.
Flechas com longas pontas de ferro choveram sobre os cavaleiros franceses, que começaram a cair a medida que avançavam, a situação era desesperadora mas Pierre não desistiu, estava cego de ódio pela queda do seu general, e não pode pensar em outra coisa nem se deu conta quando uma flecha inglesa penetrou pela fenda entre seu elmo e a couraça peitoral, sua visão escureceu enquanto ele tombava morto do cavalo, a chuva de flechas foi certeira e simplesmente pulverizou a formação inimiga matando ou ferindo mortalmente todos os cavaleiros franceses.

Image
situação tatica plena: cavalaria francesa foge no centro abaixo após combate com falange
leva de camponeses avança, mas será rechaçada por flechas , la no outro lado, william se prepara pra assaltar as unidades atrás do bosque , neste momento os arqueiros do castelo se deslocam para apoiar os defensores na colina
Image
a definição da situação anterior : cavaleiros franceses eliminados , leva de camponeses exposta a flechas, arcabuzeiros avançando na orla do bosque vão atingir lanceiros ingleses, atras do bosque william carrega contra os brigantes franceses

Agora a coisa esquentava também no lado direito, William de Basquerville que ainda não sabia da queda do general inimigo, pensou que finalmente teria sua vingança , tencionava carregar pelo flanco direito , destruindo e atropelando tudo que houvesse pela frente e finalmente atingindo a cavalaria inimiga por trás, e foi quase isto que aconteceu, eles arremeteram contra a pequena formação de besteiros que atirou com as besta e saiu correndo fugindo da carga inimiga, o ímpeto da carga inglesa levou-os a trombarem com a falange de lanceiros franceses, uma manobra bem urdida pelos franceses que sabiam que tinham nítida vantagem numa falange contra qualquer carga de cavalaria.
Os ingleses se viram momentaneamente em maus lençóis, sua carga perdeu toda força contra aquela muralha de pontas de lanças, os cavalos bufavam e empinavam, alguns tombaram, os cavaleiros jogaram as longas lanças de justa no chão e puxaram as espadas e manguais e desceram o braço sobre os inimigos, os lanceiros se protegeram atrás dos escudos como puderam, mas as espadas cortaram e perfuraram mais do que eles podiam suportar, a formação rompeu e os sobreviventes fugiram desesperados.
William exultou, empinou seu cavalo e ergueu o braço com a espada ensangüentada em triunfo, e comandou uma perseguição selvagem contra o inimigo em debandada, seu maior triunfo que viria a se tornar também seu erro fatal.

Os cavaleiros não tiveram dificuldade em fatiar e pulverizar o inimigo em fuga, mas sua perseguição levou-os a se inserir bem no meio de todas as unidades de tiro inimigo, os franceses aproveitaram a chance, abriram fogo com tudo que tinham, os cavaleiros ingleses se viram cercados e receberam uma chuva de projéteis de todos os tipos, dardos de besta, balas de arcabuz, e finalmente um tiro de canhão praticamente a queima roupa que mais uma vez provocou consternação entre o exército inglês quando atingiu em cheio o jovem general, que foi arremessado violentamente do seu garanhão e caiu a 30 pés de distancia, morto, seu corpo uma massa disforme de sangue e metal estraçalhado, nem um único cavaleiro restou para contar a história, os franceses se sentiram vingados pelo que aconteceu com a sua cavalaria e seu general.
Bradaram em triunfo e a batalha continuou.

Image
situação final :
B – lanceiros correndo porque o bispo durigan desmaiado ( moral 8 e re-rola moral esquecido ) não ajudou na moral.
C – arqueiros vindo em socorro
A – onde William de Basquerville encontrou seu fim tragico como o pai.
D – onde os besteiros que haviam fugido retornam, onde a leva de camponeses foge
E – remanescentes besteiros se escondem atras do bosque, escaramuçadores estacionados ali.

Enquanto a cavalaria inglesa encontrava seu fim trágico, os lanceiros ingleses no meio do campo foram postos pra correr, o bispo Duringan era levado desmaiado e não pode exortar os homens a ficar , a fuga da formação talvez tenha sido a sua salvação pois colocou-os fora do alcance do fogo de uma das unidades de escaramuçadores inimigos.
Lá no castelo os arqueiros ingleses tinham abandonado a posição quando se iniciou a carga da sua cavalaria por trás do bosque, eles disparavam enquanto corriam em direção a colina, e conseguiram com isto silenciar os arcabuzes na orla do bosque.

O canhão do lado inglês após o tiro brilhante que derrubou o general inimigo já no começo da peleja começou a errar todos os tiros, talvez o frêmito incontrolado da cobiça imaginando que ganhariam a recompensa de moedas de ouro que William estipulara para quem desse fim ao líder inimigo tenha tomado conta da concentração deles, o fato é que com a morte de William eles não receberam tal recompensa.

Os arqueiros ingleses continuaram a mandar chuvas de flechas contra os franceses remanescentes, botaram pra correr a leva de camponeses que abandonou o campo de batalha amedrontados, e silenciaram o canhão genovês matando toda sua guarnição.
Quando os lanceiros ingleses estavam prestes a se dispersarem, o bispo Duringan que havia recobrado a consciência admoestou os homens por cristo, são Jorge e a virgem Maria a lutar e eles recobraram a dignidade e voltaram para o campo dispostos a lutar.
Vendo isto não restou outra opção aos franceses que se evadir do local para sobreviver e lutar outro dia.

Image
mesma situação final da figura anterior sob outro ponto de vista, cavalo de william em amarelo….
1 : o bispo durigan ACORDA e segura a falange na mesa

No lado Frances restaram uma formação de escaramuçadores, uma formação inteira de besteiros, e alguns remanescentes de besteiros da outra formação escondidos atrás do bosque.
No lado Ingles ambas as formações de arqueiros munidos de arco longo sobreviveram intactas, a falange do bispo Durigan segurou posição, e a guarnição do canhão ficou incólume.

Vitória plena dos ingleses neste dia, mas luto terrível pela perda do herdeiro da casa Basquerville.
O futuro agora esta mais sombrio que nunca para este clã inglês.

Image
a vitoriosa linha inglesa no topo da colina comemora e assiste o inimigo batido recuar

DADOS TÉCNICOS :
estavamos completamente perdidos, simplesmente esquecemos tudo, até conceitos de warhammer fantasy, hehehe….
mas, fomos em frente, lembrando e TENTANDO consultar o manual 2.0 num telefone celular, arrrgh !
fizemos bobagens de novo, o general frances levou um balaço de canhão, deu 1 no look it sir …… mas esquecemos que ele tinha mais WOUNDS, só foi percebido mais tarde, e rolado 1d3 , levou 2 , por isto a narrativa se refere a ele fora de combate mas vivo, já william de baskerville, este morreu mesmo, primeiro ferido com um quadrelo de besta e depois uma bala de canhão no peito com 2 wounds de dano.
esqueci que tinha o bispo duringan com os lanceiros, que tem moral 8 e permite re-rolar, resultado, os lanceiros correram por 3 x , e só no ultimo minuto o bispo segurou.

tem coisas que nõs realmente não gostamos nesta versão 2.0
e falando sinceramente, algumas coisas parecem pegar um aroma de fantasy novo, e fantasy novo não ficou legal.
eu tenho duvida se apoio ou reprovo algumas novas regras e restrições, embora jogar mais para melhor pensar a respeito.
acho que as coisas boas são as manobras que podem trazer mais aspectos de realismo deste tipo de combate, como ceder terreno e momentum …. , mais algumas restrições como não poder girar 90° eu estou em duvida se é uma boa coisa, apesar de ter defendido o ponto de vista para implementarem esta regra.
jogamos novamente sem TO WOUND , acho que ficou legal, os projéteis são mais eficientes, e isto não é um problema porque ANTES os projeteis eram INCRIVELMENTE ineficazes.

Nossas companhias já tem história pra contar, e vamos ver se inserimos isto no contexto de uma espécie de campanha, pra aumentar ainda mais a consistencia e retorno da nossa atividade de wargame neste segmento.

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 06/04/2013 em Geral

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: