RSS

Champions Complete RPG – Resenha

09 maio

Um sistema clássico quando lança uma nova edição sempre mantém o que é bom… mas se é isso que define o que é o sistema e não se vê riscos sendo tomados, aí podemos chamar de “nova edição”? Ou apenas uma republicação mais bonita?

por Guido Faoro Conti

champions complete capa

Olá meus amigos, tudo bem? Hoje falarei de um sistema que muitos consideram o melhor para representar super-heróis no RPG. Estou falando do bacaníssimo Champions Complete. Este sistema é nada mais nada menos que uma última iteração do chamado Hero System , que na sua 6ª edição é de autoria de Steven S. Long, e que aqui, ao invés de mero sistema genérico para aventuras em geral, é direcionado especificamente para aventuras de super-heróis sob a pena de Derek Hiemforth e publicado sob a editora Hero Games. Isso significa que o Hero System como sistema genérico deixou de existir? Não. Apenas significa que o sistema se apresenta muito melhor quando aplicado a jogos do tema “super-heróis”. Uma coisa ótima que voce já percebe antes de abrir o livro é a cortada na gordura que foi realizada entre edições. Somente o livro de criação de personagens no Hero 6ª tem 464 páginas. Este aqui tem 240 para tudo.  Isso é uma boa notícia certo?

Mais ou menos. O Hero 6ª tinha a pretensão de ser um competidor com seu primo mais próximo, o GURPS (o sistema de Steve Jackson emprestou do sistema a criação de personagem por pontos e a utilização do uso de 3d6 rolados abaixo do nível de perícia para se obter sucesso nos testes), por isso voce, como mestre, podia visualizar na leitura do sistema uma aventura de fantasia medieval, um cyberpunk, uma aventura de horror no mundo contemporâneo, uma aventura na 2ª guerra e por aí vai… No Champions Complete isso fica bem mais difícil por conta do enfase dado na escrita do livro para os cenários de quadrinhos de super-heróis. A criação de personagem ocupa 130 páginas do livro. Okay, são muitas opções, mas no que, realmente, a mudança de edições ajudou o jogador? Se leio 130, leio 300 e tenho o mesmo trabalho pra criar meu personagem. A criação de um personagem pode levar algumas horas no Champions, então se o mestre falou que a aventura vai ser difícil, já deixe uns sobressalentes prontos (bom, eu me divirto criando personagens nesses sistemas mais pesados, mas sei que muitos sofrem com isso…). O lado bom é que praticamente nenhum conceito de personagem fica de fora na hora da criação e compra dos poderes, que possui uma lista muito variada e ampla (alguns poderes dependem da aprovação do mestre). Outra coisa que também é real é que o sistema de testes ainda é o ponto mais forte do RPG. Você só precisa de 3d6 e apenas com um conhecimento elementar do sistema a coisa corre muito bem.   É um sistema muito justo e sólido… mas, de novo, para que uma nova edição? Enfim…

fight

Uma parte muito bem escrita e que sempre gostei muito nesses livros é a seção que trata dos gêneros dos quadrinhos de super-heróis, em como emular certos tons de jogo, como uma campanha mais realista, por exemplo (que o sistema parece privilegiar). Aliás, se eu fosse narrar uma campanha no mundo de Watchmen, com certeza que eu usaria o Champions. Ele tem as vantagens e desvantagens que o mestre precisa pra ilustrar o mundo, tem os reflexos em regras que podem apontar para a campanha e dizer “olhem, é um mundo com super-heróis, mas ele é adulto, sério”. Esse é um ponto forte que o sistema já tinha e aqui continua para a felicidade de jogadores como eu…. Por ser por pontos, níveis variados de jogo podem ser propostos e fica fácil para o mestre impor caps nas habilidades se necessário (“Nenhum superpoder com efeito acima de 10d6”). Essas coisas fazem do sistema demandar tempo para polir a aventura da maneira precisa, mas, até então, o que não demanda tempo neste hobby? Exato… Bom, voce me pergunta agora “e voce compraria o sistema”? Sim, se eu não tivesse outra edição do Hero System ou tenha dificuldade com Gurps no quesito de criação de poderes de super-heróis, ou ainda, se eu não curtisse sistemas com proposta mais ágil e simples como o Mutants and Masterminds ou o BASH. Pelo menos, fiquei com esta impressão. Espero que tenham curtido a resenha. Abraço a todos e ótimo final de semana!!

meme cat

Anúncios
 
2 Comentários

Publicado por em 09/05/2013 em RPG

 

Tags: , , , , , , , , ,

2 Respostas para “Champions Complete RPG – Resenha

  1. Gustavo H Gomes

    26/06/2013 at 2:27 AM

    E existe esse livro em português? xD

     
    • guidoconti

      26/06/2013 at 9:44 AM

      Olá Gustavo,

      Pra variar, os leitores em português ficam desassistidos neste caso. Tirando a Retropunk não conheço mais nenhuma outra empresa que esteja traduzindo para o português esses RPGs mais diferentes. Teremos que aguardar.

      Abraços!

       

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: