RSS

GUERRA DE BRINQUEDO = Tide Of Iron – Stalingrad

28 jan

2011090900004Por HerrMüller

Partida de TIDES OF IRON estreando as novas instalações do BUNKER II, e também a expansão STALINGRAD do ‘colecionador’ de TOI, Ismael Pochekowski.
Para testar ele escolheu uma partida básica e não ficou nem um pouco satisfeito com o resultado, devido a uma série de erros ou omissões nas regras adicionais que a expansão trás, e por conta disto vamos ficar sem a presença de uma de suas dinâmicas e muito bem ilsutradas reportagens.
Mas eu vou comentar brevemente a partida para que a primeira partida no espaço do Bunker II agora finalizado não passe em branco.

O cenário de jogo foi  na estação de trem , aquela mesma em que no shooter RED ORCHESTRA II – HEROES OF STALINGRAD tem o nome de THE STATION.
O visual do mapa do jogo para ele tem semelhança com o mapa tridimensional para o jogo de PC, no que tange aos seus tons de cores, tendo um grafismo escuro e pesado, na versão tridimensional aparece um ambiente salpicado de vagões e montes de terra e escombros, e com edificios bastante danificados, na vida real parece que foi palco de uma acirrada luta, com a estação tendo mudado de mãos por 14 vezes em apenas 6 horas…
Na partida proposta pelo TOI Stalingrad, os germânicos devem tomar pontos chaves no mapa das mãos dos soviéticos em um tempo limitado.
Acompanhe um resumo da partida e algumas ilustrações abaixo :

MEUMEUVERSAOb

Pochekowski : Alemães
Müller : Soviéticos

Na nebulosa e abafada manhã nas proximidades da estação central , os krautz vem com tudo, dispostos a tomar a estação, se aproximam num trote ligeiro, destravando os fuzis de ferrolho e as pistolas metralhadoras que portam os oficiais…
Ao chegar na ponta do complexo de edifícios da estação se inserem nas construções divididos em dois pelotões, o resto da companhia segue atrás e chegará em poucos minutos…

A primeira ação do combate fica por conta dos atiradores de tocaia que eventualmente disparam dos escombros nos edifícios ao redor, apesar disto os alemães não tomam cautela e continuam seu avanço inflexível, rajadas cadenciadas de metralhadora leve e estampidos de fuzil se fazem ouvir a frente, de ambos os lados da linha férrea, os alemães se posicionam nos beiras das janelas tomam posição de tiro e revidam com precisão.
Os tiros de fuzis são concentrados na posição inimiga da direita, e fazem grandes estragos no esquadrão de elite soviético que iniciou a refrega…  grupos apressados de bolcheviques se aproximam visando tomar posições defensivas e auxiliar os camaradas em apuros…


Expandir esta imagem

Expandir esta imagem

O pelotão de elite soviético recebe os reforços apressados dos camaradas que tomam posições nos andares do edifício, na troca de tiros que se sucede os bolcheviques detém o avanço alemão e  um batalhão de reforço é chamado  da retaguarda, ao mesmo tempo em que o grosso da companhia alemã se aproxima pelo lado sul da estação…
Do alto do céu coberto de grossas nuvens o ronco ameaçador dos stukas é seguido pelo espoucar das metralhadoras de bordo que varrem a construção provocando baixas nas tropas posicionadas em todos os andares ( erro de regras : parece que o ataque aéreo só consegue atingir o que esta no andar do topo ) , o volume de fogo é aumentado com o apoio de todas as armas portáteis dos pelotões alemães nas construções do outro lado do pátio de manobras…
Após algumas novas surtidas da aeronave o saldo final são claros tremendos nas tropas inimigas, a defesa da casa fica combalida, é o momento que os krautz esperavam para tentar um assalto a posição.
Um dos pelotões germanicos na construção da esquerda avança afoitamente dentro do seu edificio, mas ao atingir o limite do prédio e antes que um homem sequer coloque o pé para fora da porta algo terrível acontece!
– Uma enorme língua de fogo invade toda a sala, carbonizando seus ocupantes, transformando tudo em um inferno de fogo enquanto rolos espessos de fumo saem profusamente pelas janelas.
O edifício pega fogo, os sobreviventes apavorados  tentam escapar mas vão morrendo queimados uma a um, é uma coisa terrível de se ver, e o pelotão remanescente no fundo do edifício fica atordoado até que o continuado fogo do inimigo os trás de volta a realidade, e eles recomeçam timidamente a trocar tiros com o inimigo do outro lado do pátio…


Como o pelotão sobrevivente posicionado na casa não tenta extinguir o fogo, os pelotões germânicos que vem da retaguarda não tem outra opção a não ser avançar pelo flanco oposto, do outro lado da linha férrea, eles engrossam o contingente presente daquele lado, os stukas fazem surtidas eventuais e tudo se compõem de uma força temivel para o inimigo, os bolcheviques defendendo as posições vão sofrendo baixas temíveis, mas seguram as posições, as tropas que chegam para reforçar também vão sofrendo claros nas suas posições…
Durante toda a tarde o tiroteio continua, a situação é tensa para os bolcheviques que acabam em muito menor numero, os alemães agora planejam tomar as posições de assalto, avançam inexoravelmente, entretanto um ninho de metralhadoras leve dos soviéticos trabalha duramente para conter o avanço inimigo, quando o impulso deste parece que vai romper a resistencia soviética e os alemães tomam o pátio externo entre as construções os pelotões de reforço munidos de submetralhadoras ppsh municiadas com tambor de 70 tiros disparam rajadas intensas sobre os assaltantes,  mas só conseguem dete-los quando coquetéis molotov são lançados pelas vidraças dos andares superiores e o fogo detém o avanço do inimigo…

O fim do dia se aproxima e a tropa alemã acaba exaurida sem impeto para tentar nova onda no dia de  hoje, os soviéticos em minoria conseguem segurar as posições e por hora podem se considerar vencedores ….

DADOS TÉCNICOS :
Parece que houveram muitos erros no emprego das regras do jogo, devido as novidades da expansão, mesmo assim, achei que não ultrapassaram em grande coisa as omissões e enganos que costumamos fazer nos jogos de guerra com miniaturas…
– Os stukas não podiam atacar tropas nos andares inferiores
– Os coquetéis molotov não podiam ser apoiados por outro tipo de ataque, e nem serem usados em ataques de oportunidade
– será que tropas desmoralizadas melhorariam de condição na mudança de turno, estando entre ‘chamas intensas’ do incendio da armadilha de ‘flamme fougasse ‘ ?
– o ataque da armadilha incendiária deveria ter tido duas rolagens, uma para seu terreno de origem e outra para seu terreno adjacente, e foi feito somente uma….

esta foram as principais questões…
Mas a controversia realmente principal talvez seja o emprego de uma espécie de ‘regra da casa’, onde nos permitimos ‘passar a vez’ sem ter que realizar qqer ação para uma unidade, nem coloca-la em ‘op fire’ ….
Suspeito que esta regra aparentemente inofensiva pode por vezes favorecer muito um lado, que tenha poucas tropas e esteja na defensiva, onde tudo que ele tem que fazer é ‘passar’ e esperar os acontecimentos procurando alguma condição favoravel ali na frente.
Não devemos mais usar este tipo de adaptação, mesmo que ela parece mais ‘realista’ , ou consistente, porque modifica a estrutura bem pensada do jogo…
Afinal o TOI não é um simulador de combate, e para deixa-lo mais preciso e consistente seria preciso modificar e aprovar um grupo inteiro de regras, dando-lhe uma espécie de ‘modo’ hardcore de jogo.

De resto, a partida foi divertida, e apesar de todos os poréns, até que a partida não fugiu muito do que poderia ou teria realmente acontecido conforme as ações tomadas :
— as baixas que o bombardeio stuka provocou a mais, compensaram um uso abusivo dos molotov ( talvez, talvez  não )
— as ‘passadas’ de vez, afortunadamente não deram a grande vantagem q poderia ter ocorrido aos soviéticos, a sua metralhadora e escolhas prévias em alguns outros ‘opfire’ tiveram o seu papel de forma adequada…
enfiem, melhor não ter tantos erros, mas a ‘histórinha’, o pequeno drama que os jogos de guerra conseguem criar entre os exércitos em combate tiveram lugar e ainda de forma divertida.

Repetindo consigo mesmo :
Ismael Pochekowski,acho que tentou refazer a partida sozinho, incomodado pela série de erros da primeira tentativa ( mas pelo que percebi ‘áreas nebulosas’ persistem na interpretação ou entendimento das regras, por exemplo :  morteiros só atingem o ultimo nivel da construção, segundo sua interpretação ataque aéreo com metralhadoras do Stuka também, mas canhões de blindados ele julga que não !  ,    será ? , a coisa toda esta parecendo muito inconsistente desta maneira ):

 
Deixe um comentário

Publicado por em 28/01/2014 em Geral

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: