RSS

GUERRA DE BRINQUEDO = Napoleônicos de papel na guerra peninsular

25 abr

1adb64ae
Por HerrMüller

No clube TROPAS POLARES de Curitiba agitamos novamente  uma partida do período napoleônico, com exércitos de papel !
Usamos o formidável sistema BLACK POWDER, em dois exércitos devidamente pontuados e configurados para o teatro da guerra peninsular que Napoleão travou ao invadir a península ibérica.

Acompanhe o relato e as fotos desta batalha, e não pense que pelas peças serem de papel a partida seja menos animada ou imersiva, com figuras adequadas, um bom recorte e uma base devidamente configurada ( alguma grama artificial para dar realismo as peças, feito pelo confrade Geraldo ) e seu exército vai ficar quase tão bom quanto um com miniaturas, você até acaba esquecendo que não são miniaturas.

images

BLACK POWDER 
Mateus – FRANCESES
Müller – INGLESES 


Image

A grande coluna de marcha dos casacas vermelhas avança pela estrada empoeirada e chega até a vila de são Geronimo a tempo de ver as unidades de milicia dos aliados portugueses avançarem a passo pelo capim e tomarem formação de linha no lado esquerdo do bosque central, vigiando os movimentos do inimigo que se aproxima do outro lado da ponte…. 
Mais unidades de infantaria avançam com cautela no lado direito do bosque,andando no capim alto, em colunas de combate prontas para encontrar o inimigo , e no extremo desta posição segue a cavalaria pesada.

Os franceses abrem duas alas ao chegarem próximos a ponte, com unidades de infantaria de linha de ambos os lados… 
Uma unidade de cavalaria ligeira estaciona no centro esperando a definição das posições de batalha, e na retaguarda pela estrada a guarda imperial se aproxima atrás das guarnições de canhão.

Image

O campo de batalha contém 3 pontos chaves, formando uma linha diagonal que segue da ponte de pedra , passando pelo velho moinho e chegando até a vila de são geronimo, os casacas vermelhas tomam a vila deserta, enquanto os casacas azuis detém a ponte, o velho moinho logo cai nas mãos dos ingleses que são os primeiros a chegar, com os aliados portugueses.
Uma vez que estes se posicionam em linha e preparam os mosquetes, os franceses avançam uniformemente nos flancos com suas unidades de infantaria regular, mas no centro parte das tropas são atrasados atrás da ponte pelas peças da bateria de canhões.
A tropa regular que consegue cruzar recebe a primeira salva de tiros ao se aproximar do moinho, imediatamente formam uma linha e respondem ao fogo, alguns homens caem aqui e ali, mas ambas unidades não sofrem maior pressão por estarem combatendo isoladas das demais.
Mas no flanco esquerdo os franceses que tentam cruzar o rio são surpreendidos pela aproximação veloz da cavalaria e uma unidade de infantaria, que carregam contra eles, apressadamente fazem fogo defensivo derrubando alguns inimigos, mas não resistem a pressão do assalto e retornam a sua margem do rio, uma vez a salvo, os oficiais reorganizam as tropas e formam uma linha tenue que abre fogo sobre os ingleses do outro lado… 
Enquanto a infantaria do outro flanco que não tem que se preocupar com o rio avança em formação de linha pronta para a batalha, no centro a coisa começa a ferver … 
Escaramuçadores ingleses chegam até o moinho e ajudam os portugueses a repelir os infantes franceses da vanguarda, então se abrigam no moinho e esperam a aproximação do inimigo.
Os portugueses recuam contornando o bosque para abrir espaço para as duas baterias de canhões ingleses que disparam imediatamente. 

Image

Image

Entretanto a despeito do seu recuo momentaneo no centro, a longa linha do flanco frances chega a distancia de tiro e começa a disparar sobre as unidades que avançavam pela estrada, estas imediatamente se desdobram em linha e o tiroteio furioso se trava, ambos os lados disparam e carregam, enquanto vão se formando claros nas formações. 
Uma unidade do lado esquerdo ingles investe com baionetas no flanco da linha francesa, imediatamente apoiados por uma carga frontal de outra unidade, imediatamente as duas uniddes remanescentes de ambos os lados também travam combate corporal, e um emaranhado de casacas azuis e vermelhas se confunde, se mistura e tromba, e um clangor terrível de metal e tinir de armas, suspiros e brados de ódio toma conta do ar.
Os contendores golpeiam daqui e dali, estocadas sobre estocadas, homens caem estrebuchando… 
Inicialmente os franceses estão em franca desvantagem, mas incrivelmente, incitados pela energia do comandante da brigada , conseguem resistir ao primeiro embate, e então fincam pé no solo e revertem a situação, após um tempo que pareceu interminável, o combate aproximado é interrompido quando a unidade inglesa combatendo perto do moinho se desfaz e os sobreviventes batem em retirada perseguidos pelos inimigos, com isto toda a linha inglesa do flanco é obrigada a recuar para não ser envolvida pelo adversário.
Isto permite que no centro desguarnecido os franceses também se recuperem, agora reforçados com a chegada dos soldados de elite da guarda imperial, que assaltam o moinho e expulsam os escaramuçadores de lá.
O favor da batalha começa a virar inteiramente para os Franceses.
No flanco oposto, a despeito dos sucessos iniciais, e da luta com bravura que as unidades inglesas do centro travam a direita do bosque, repelindo cargas da cavalaria ligeira francesa e promovendo baixas nas formações de linha, gradualmente elas vão sendo envolvidas e batidas, quando a sua cavalaria pesada e a infantaria de apoio recuam da margem do rio, e as unidades francesas daquele setor conseguem finalmente cruza-lo.

Agora os francesese conseguem uma movimentação clássica de aproximação em pinça, fechando o exército ingles por ambos os lados, e quando a guarda imperial com a frente livre massacra as guarnições de canhão, as cornetas soam e o que resta do exército ingles recua com rapidez para não ser aniquilado.
Por volta do meio dia o exército de Napoleão conquista mais uma vitória, e a vila de são gerônimo está em suas mãos.

Image

Image

Image

DADOS TÉCNICOS :
Partida devidamente pontuada e caracterizada por Mateus.
Com direito a tropas aliadas Portuguesas para o lado dos Ingleses.
Os ingleses tinham mais canhões, uma tropa de escaramuçadores, e duas tropas de milicia portuguesa que levemente mais fracas, a cavalaria era pesada.
Os franceses tinham menos canhões, uma tropa de elite de guardas imperiais entre o restante de linhas regulares, e sua cavalaria era ligeira.
Um engano com o uso dos canhões fez com que eles ficassem meio truncados para os ingleses no desenrolar da partida.
Os guardas imperiais se atrasaram confusos entre as peças de artilharia, e as tropas em coluna de marcha inglesas também se perderam um pouco apesar da estrada a sua frente ! 
Foi uma partida bem interessante, em que os ingleses iniciaram com bastante confiança, mas que a medida que avançou os franceses foram aumentando cada vez mais sua influencia e preponderancia em todo o campo de batalha, de certa forma acabou se criando a situação ideal e clássica dos movimentos em pinça, quando dois flancos avançam , batem o inimigo e se fecham sobre um centro combalido.

Black Powder mais uma vez se mostrou um sistema dos melhores para as guerras do período, ágil, relativamente simples, mas bem estruturado e realista.

 
Deixe um comentário

Publicado por em 25/04/2014 em Geral

 

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

 
%d blogueiros gostam disto: