RSS

Arquivo da tag: Literatura

Orgulho Preconceito e Zumbis

@cacorpg é um fã de seriados e filmes, especialmente quando eles são baseados ou inspirados por livros ou quadrinhos. Através das imagens nossa imaginação se fortalece!

orgulho-preconceito-zumbis

Sim, eu fui ver este filme com o pé atrás, por vários motivos, mas afinal de contas tinha zumbis no título e eu não poderia negar a chama acesa pelo Romero (não aquele das gravuras cafonas), o cineasta que imortalizou os mortos vivos mais queridos (ou odiados) do mundo, mas voltando ainda ao título, se fossem amor e preconceito e piratas ou ninjas teria surtido o mesmo efeito, como todo nerd sabe, ninjas piratas e zumbis são a santíssima Trindade do universo nerd!

Bem porem como já havia ido ver Abraham Lincoln: Caçador de vampiros em 2012, achei que deveria dar a este a mesma chance.

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em 20/02/2016 em Cinema, Estréia

 

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

Penny Dreadful – A Serie de TV

@cacorpg é uma fã de seriados e filmes, especialmente quando eles são baseados ou inspirados por livros ou quadrinhos.Pois é através das imagens que a nossa imaginação se fortalece!

Em conversas recentes com o amigo Duncan Salazar (aka: Leandro L. C. E Rodrigues) pedi a ele indicação de novos seriados para assistir o que ele prontamente me deu uma enorme lista, o Leandro como eu assiste tudo sem preconceito só para ter, mais e mais material para se inspirar quando pratica o real oficio de mestrar RPG.

Penny Dreadful é sem dúvida um seriado clássico para quem curte RPG’s diferentes, ele tem uma pegada que pode ser usada tanto um Call of Cthulhu (em especial a serie Cthulhu by Gasligth), ou num Castle Falkenstein, ou ainda se preferir um Victorian Age: Vampire, mas é impossível para um bom nerd (um bom nerd é aquele que tem múltiplas nerdices ocupacionais) não observar o seriado com os olhos do grande Alan Moore em sua aclamada The League of Extraordinary Gentleman.

Em Penny Dreadfull, temos no elenco principal:

  • Timothy Dalton como Sir Malcolm Murray, experiente explorador da África negra, a quem não podemos deixar de associar com o Sir Allan Quartermain, Sir Murray é também o pai de Mina Murray (Aka: Mina Harkey, na Liga)
  • Eva Green como Vanessa Ives, enigmática e misteriosa Miss Ives é única personagem do seriado a quem não pude associar diretamente com alguém histórico, ela é o elo sobrenatural que une os demais personagens através de suas visões e de uma possível alusão com um demônio.
  • Josh Hartnett como Ethan Chandler, Charmosos, jovem e rápido no gatilho, na versão para o cinema da Liga ele poderia ser Tom Sawyer, mas qualquer personagem do velho oeste completaria esta figura.
  •  Harry Treadaway como Victor Frankenstein, O dr. Frankestein dispensa apresentações, como na versão relatada por Mary Shelley, este seriado também é um excelente e inspirador tema para mestres e jogadores de Promethean: The Created, mostandro as agruras de ser o monstro ou criador.
  • Reeve Carney como Dorian Gray, como a personagem criada por Oscar Wilde, Dorian é um jovem charmosos, confiante enigmático e sem duvia com o passar do tempo se mostrara cruel.

Todavia com tantos elementos, fantasioso, fantásticos ou ficcionais o seriado é bem “pé no chão” mostrando a Londres Vitoriana de 1891, como ela era, suja com grandes diferenças equalitarias, com a tuberculose tomando seu quinhão da população como o grande mal referido no seriado como “the comsuption”, e as ruas repletas de medo e pobreza. Jack the Ripper ( Jack o estripador) é citado várias vezes em passagens deslocadas ao longo do tema principal, que consiste na busca de Sir Murray em localizar sua filha Mina que se encontra em poder de uma criatura imortal muito poderosa (Drácula??!!).

Penny Dreadful vale a pena assistir pelos seus inúmeros elementos que podem trazer muita inspiração a mestres e jogadores, ajudando os mais inexperientes a conhecer uma pouco mais da realidade de alguns dos grandes cenários de RPG, com uma dose mais real em seus jogos.

Game On!

 
1 comentário

Publicado por em 09/06/2014 em RPG

 

Tags: , , , , , , , , , ,

Rosa Imortal – Um Novo Florescer – Resenha

@cacorpg gosta muito de ler, e fica cada dia mais feliz em ver a literatura de ficção científica e fantasia crescendo no país.

Grata foi a minha surpresa, em finalmente conseguir um tempo pra ler o Rosa Imortal , romanceda minha amiga de longa data Tani Falabello, eu a conheci pelo antigo LARP Curitiba By Night e La nos dividimos muitas experiências bacanas, jogando, viajando e conhecendo gente nova pelo Brasil todo. oda essa bagagem a Tani transformou em algo palpável, ao escrever seu livro!

Durante o ultimo WRPGFest, sai com vários tesouros e um deles foi o exemplar autografado pela minha amiga, e outras leituras mais técnicas me obrigaram a postergar a leitura do livro.

Quanto iniciei o livro estava com o pé atrás justamente por este momento o de escrever sobre ele, o medo de talvez ler e ter que escrever uma critica dura ao trabalho de uma amiga não é fácil, todavia como formador de opinião tenho que ser leal ao meu publico ao recomendar uma obra/jogo ou mesmo apontar defeitos quando estes venham existir, sabemos que nenhuma obra é realmente perfeita, mas alguns defeitos acabam por estragar o prazer de ler uma boa historia.

Eu vou iniciar a resenha com uma anotação que fiz sobre o livro já nos primeiros capítulos e então vou discorrer sobre isso, os principais personagens e em linhas gerais sobre a trama, em linhas bem gerais para que quem queira vir a ler possa ainda ser instigado a fazê-lo, mas sem perder a graça de descobrir os meandros que uma historia de vampiros precisa ter.

Tani Falabello apresentando o Rosa Imortal ao publico do WRPGFest 2012.

Tani Falabello apresentando o Rosa Imortal ao publico do WRPGFest 2012.

Eu tomo notas sempre que estou lendo alguma coisa, a boa e velha memória nos trai a todo tempo e com algumas notas sobre os personagens ou cenários podemos nos avivar das cenas lidas com o espaço de tempo grande, o Rosa Imortal torna a leitura muito fácil, seis capítulos são curtos, geralmente uma ou duas paginas apenas e há um bailado entre os personagens que vão se alternando a fim de contar uma mesma historia de diferentes pontos de vista.

As personagens mais marcantes são mulheres, e muito embora tenhamos presente muitas variações na apresentação dos personagens masculinos, os que se destacam e ficam impressos na memória são os personagens femininos, este é um traço que comumente observo em escritoras, mas não é uma regra.

Para quem já jogou Vampiro a Mascara, a associação com os conhecidos clãs vampiríricos da Camarilla e parte de sua estrutura política ficam muito evidentes, traço que certamente Tani trouxe dos seus longos anos jogando RPG e LARP no velho mundo das trevas. Todavia para o leitor que esta adentrando no livro sem a o conhecimento prévio do jogo criado por Mark Rein·Hagen  em 1990-92 há uma ambientação solida e de fácil entendimento.

Um destaque vai para a velha Londres, cidade que sempre foi cercada de mistérios diversos, e casa tão bem com vampiros seja atualmente ou nos anos 60 onde se passa a historia, espionagem intriga romance e traição estão presentes durante todo o livro, para mim a historia foi uma boa descrição de uma aventura de RPG, e sinto que influenciado por este clima e pelo meu antecedente como jogador, posso falhar em perceber algo que traga demérito a ela. A cada personagem descrita eu via malkavianos, tremeres  ventrues e nosferatus construindo a historia. O livro todo é recheado de citações musicais, todas apropriadamente escolhidas conforme a cena e em total sincronia com os hits da época.

Eu recomendo a leitura do Rosa Imortal tanto para fãs de Vampire The Masquerade, quanto para quem é apaixonado pelo mito do vampiro, certamente ambos irão se surpreender com a leitura.

File:Vampmasq.jpg

Fica aqui o meu pedido para a Tani Falabello, que caso ela tenha as fichas dos personagens do livro, eu gostaria muito de publicá-las para que o publico leitor pudesse usar o Rosa Imortal como mais um cenário possível dentro do Mundo das Trevas, utilizando o rico background apresentado no livro!

FICHA TÉCNICA:

Descrição: Na sombria Londres dos anos 60, um grupo seleto de pessoas chama a atenção de agentes secretos e jornalistas, quem no mundo real imaginaria que estavam lidando com Vampiros.
Autor (s): Tani Falabello
ISBN: – 856249710-0
Ano: 2012
Editora: Literata
Acabamento: Brochura
Número de Páginas: 425
Formato: 16 x 24
Idioma: Português

Se ao ler você ficou curioso a respeito, compre o livro na Nerd Mega Store, nossa parceira fiel.

Game On!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 27/02/2013 em Geral, Literatura

 

Tags: , , , , , , , , , , ,

The Following – Nova Série na TV fechada.

@cacorpg, gosta de assistir filmes e seriados pois vê uma possível nova aventura de RPG a cada nova historia, deixe sua imaginação fazer o mesmo por você!

Olá gamers

Hoje trago pra vocês um seriado, ao contrario de filmes e livros, ainda não sabemos como ira acabar, se haverão mãos temporadas, ou se ficará ruim com o passar do tempo, mas  agora com apenas dois capítulos lançando, a nova serie de Kevin Willianson ( escritor e produtor dos roteiros Scream  – Pânico ) The Following ( ainda sem nome em português) esta boa demais para quem quer ver uma serie de real suspense.

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em 06/02/2013 em Séries, Trailer

 

Tags: , , , , , ,

Hora de mexer no ouro, Smaug! – As muitas novidades de livros sobre O Hobbit & afins

Ola Caros leitores ‘e com bastante prazer que hoje lhes trago uma matéria especial escrita pelo amigo e companheiro de boardgames Tiago Perretto que escreve regularmente na Meeple House, ele gastou boa parte de seu tempo livre pesquisando as novidades que acompanham o lançamento do filme e … bem leiam o que ele escreveu!

Capa do Livro – baseada no poster do cinema!

Muito bem, independente da qualidade do filme d’O Hobbit – Uma Jornada Inesperada, uma coisa é certa: a divulgação foi bem vinda para trazer novos títulos relacionados ao filme às livrarias. Aqueles que vi são:

Read the rest of this entry »

 
1 comentário

Publicado por em 23/12/2012 em Literatura

 

Tags: , , , , , ,

O RPG vai bem obrigado! E o restante?

Uma visão particular, sobretudo não técnica sobre a indústria de jogos (em especial no ultimo ano) e sua influência no mercado Brasileiro por @cacorpg

Bom dia Gamers!

Hoje gostaria de escrever um post diferente, algo elaborado em cima de minhas idéias, deixando um pouco de lado a onda “tsunamica” que é a internet! Pretendo fazer isso em cima de um chavão, que já virou meme para nos rpgistas, e tentar expandir um pouco mais o tema incluindo todos os tipos de jogadores. Este meme é a celebre frase: O RPG morreu?

Pode se dizer que no Brasil as coisas sempre andaram a passos lentos. Ao longo de mais de 25 anos de jogo eu vi a Devir em seus tempos áureos, pegando todas as licenças quentes. Eu vi a Daemon publicar mais de 20 titulos, vi também o surgimento de outras editoras que ainda perduram no mercado, como a Jambo e a Conclave, mas o ponto não é esse. O RPG morreu?

Pela simples (e ótima) resposta dada pelo amigo @delibriand e o furor que ela causou nos dias de sua publicação na ForjaRPG, nós sabemos que não! Sem apologias e ou puxações de saco, não vou entitular o atual preríodo como Era de Ouro, ou algo assim.

O RPG está vivo graças a persistência da Devir, Jambo, Conclave. Graças ao sangue novo da Secular, Redbox e Retropunk. Graças as iniciativas independentes de rpgistas, que são simplesmente FÃS e fazem RPG (e jogos) por que gostam! Este ano o número de livros nacionais praticamente dobrou na minha estante graças a Retropunk e sua avassaladora enxurada de bons títulos. Por sinal mais um excelente RPG ainda por vir! Que venha o Savage Worlds!

O Brasil, e o mundo, esta vivendo uma excelente fase para jogos. A indústria de videogame já prometem os sussessores do PS3 e do Xbox 360, na cola os concorrentes já terão novos consoles aos seus ávidos consumidores. E não vamos esquecer o sucesso que foi o financiamento coletivo do revolucionário OUYA.

Boardgames são uma febre, a própria GROW apostou forte nisso novamente com o Colonizadores de Catan e o Domínios de Carcassone. Dois títulos excelentes, e mais que aprovados pela comunidade nacional e internacional. Na cola vieram também as editoras menores: Ceilikan, GalápagosMS Jogos.

Nos card games também há uma vasta possibilidade de escolhas. Se você quer fugir de Magic, Pokémon e Yugi-Ho!, não se preocupe, as possibilidades são muitas. Goblin Card Game, Dungeon Monsters e Mercenary Crusade estão ai mostrando sua força.

Para os fãs de jogos de miniaturas ainda estamos aguardando algum investidor audacioso o bastante para embarcar nesta empreitada no Brasil. Enquanto isso o mercado lá fora vai muito bem obrigado. Embora a importação ainda seja cara, ela esta longe de ser o bicho de sete cabeças que era antigamente. Os títulos que utilizam as variantes de jogo de escaramuças  skirmish), dominam o mercado com variedade de títulos e temas. Eu já escrevi sobre Malifaux aqui e Infinity  divididos em parte1 e parte 2 no Paragons.

A literatura de Fantasia e Ficção, vai bem obrigado também. George R.R. Martin e Bernard Cornwell agora são aclamados pelo grande público como o consagrado Tolkien. Títulos baseados em videogames e ou jogos de computador abocanham uma boa fatia do mercado literário neste grupo. Cada vez ue entro em uma livraria vejo mais e mais títulos como A Companhia  Negra, recentemente resenhada pelo Dan Ramos em seu blog O Birosca Nerd. E Títulos nacionais? A Jambô nunca descuidou deste campo, embora os pioneiros foram realmente a Devir e a Daemon. O Inimigo do Mundo de Leonel Caldela virou trilogia e novos títulos estão nos planos. Eduardo Spohr e a Batalha do Apocalipse, A Rosa Imortal de Tani Falabello são ótimos exemplos. A Draco tem publicado muitos autores nacionais de peso. Não esqueça da promessa da RED Box de uma Trilogia assinada pelo Tio Nitro nos mostram que o cenário esta melhorando a passos largos.

E se eu fosse aqui falar dos Blogs este post basicamente não teria fim. Apenas para constar, um blog que eu tenho seguido (afora aqueles para quem eu contribuo) é o Forja RPG, que promete se tornar uma referência nacional para nós!

Como vocês podem ver, se é que leram até aqui, a breve e (muito nas coxas) retrospectiva sobre os que aconteceu no mundo dos jogos em geral. A cultura pop nacional esta mudando nossas vidas, até os grandes meios de comunicação já atestam que ser Nerd ou Geek hoje é sinônimos de orgulho para os jovens. Eu como já sou velho, já sinto esse orgulho a muito tempo!

Espero que o texto não tenha sido maçante e me desculpo se eu esqueci, ou deliberadamente não citei alguma iniciativa na área que brilhou durante este ano, mas realmente foram muitas. Não foi minha intenção ser academicamente preciso!

Game On!

 

Tags: , , , , , , , , , , , , , , , , , , , , ,

Camp Myth! Mais um ótimo Kickstarter!

Olá meus caros, hoje falarei de uma coisa muito legal: o financiamento Coletivo do RPG da Third Eye Games, o novíssimo Camp Myth.
Mas do que se trata este novo universo? Eis a definição extraída dos fóruns da editora pelo próprio Chris Lewis Carter, o escritor que criou o universo literário que é transcrito para o RPG. A resposta foi a um consumidor que perguntou: “Mas no que o universo difere do trabalho de Rick Riordan? (da série Percy Jackson)
Chris Lewis Carter aqui. Muito obrigado pela resposta. Posso certamente entender a sua perspectiva, e eu gostaria de abordar suas preocupações, como os dois mundos são realmente únicos, e têm abordagens  drasticamente diferentes para o conceito de mitologia.
Onde muitas histórias e filmes de focam a mitologia de uma cultura particular (PJatO, Clash of the Titans), Camp Myth trata de mitologias culturais de todo o mundo. Você vai ter a mesma probabilidade de encontrar um Kitsune como um Redcap. Na verdade, o tema de celebrar a diversidade cultural e racial está na frente e no centro do primeiro livro, e continuará a desempenhar um papel enorme em volumes futuros. Riordan é claramente um grande fã do mito grego (e egípcia, em sua série Kane), mas esses são dois fragmentos de um todo muito maior.
Outro aspecto único do Camp Myth é que ele trata exclusivamente de criaturas mitológicas. Para não falar em nome de outras obras de fantasia, mas, mais frequentemente do que não, as histórias possuem um filho “especial” humano (ou grupo de crianças humanas) que de alguma forma ter acesso a um reino escondido de criaturas, ou descobrir que eles são na verdade uma meia-criatura, ou algo nesse sentido. Não é assim em Camp Myth. Todos as personagens são 100% míticas, sem um único humano no meio. Não existem semi-deuses, ou Deus-deuses também. Apenas mitos de todas as culturas aprendendo a trabalhar juntas para ganhar medalhas de mérito.
O que me leva para o acampamento em si. O Camp Myth foi fundado para permitir criaturas míticas de todas as esferas de vida se unirem e aprenderem uns com os outros. Enquanto matriculadas no acampamento, as crianças têm a tarefa de ganhar medalhas de mérito (estilo escoteiro) para completar tarefas exclusivas baseadas em um mito cultural particular. No livro um, por exemplo, os personagens tentam ganhar a medalha pela Vigília Phoenix. Cada livro da série vai se concentrar em uma  medalha difente e volumes futuros vão incluir de tudo, desde a construção de um Golem até a pesca de um Kraken. Este ‘set-up’ é algo que estamos animados para trazer para o RPG, em como sessões podem girar em torno de jogadores que trabalham juntos para ganhar medalhas de mérito diferentes, e ganhar novas habilidades impressionantes quando o fazem.
Espero que esta resposta lhe dê uma melhor idéia da série como um todo, e como ela tenta colocar uma nova abordagem a um conceito muito usado da mitologia. Eu ficaria mais do que feliz em responder a mais perguntas que você (ou qualquer pessoa) têm, e ficaria encantado de tê-lo inscrito no Camp Myth nas próximas semanas.
Feliz Acampamento, 

-Chris-

Creio que a resposta de Chris deixa bem claro o que podemos esperar desta divertida fusão entre o universo fantástico literário infanto-juvenil do autor e nosso hobby favorito.

Se você caro amigo interessou de verdade pelo tema e pela idéia do jogo, as coisas podem ser ainda melhores. Sim! Pois ao acessar este link  poderá participar diretamente do financiamento coletivo da produção do jogo e conseguir os mais diversos benefícios pela sua contribuição (quanto mais contribuição, mais benefícios!). Vamos lá pessoal!

 
1 comentário

Publicado por em 19/11/2012 em RPG

 

Tags: , , , , , , , , , ,