RSS

Arquivo do autor:Hugo

Sobre Hugo

Viciado em filmes, séries, quadrinhos e tudo mais que faça parte da Cultura POP atual! Na mundo dos Games sou jogador de tudo, comecei com um telejogo da Philco, depois foi Atari, TK85, MSX, Master System, Nintendinho, Supernintendo, MegaDrive, Play 1, PC, Play 2, PSP, XBox 360, Wii, Play 3, IPod, IPad, Android, PS VITA. Se da para jogar eu quero conferir!

Batman v Superman: A Origem da Justiça – Eu não gostei!

Com lágrimas nos olhos eu comunico a todos que a Warner, Snyder, ou quem quer que seja, não conseguiu emplacar este filme. Quase tudo deu errado!
por Hugo Fernando

BVS

Senhoras e Senhores

Depois de um longo e tenebroso inverno, aqui estou eu, saindo do ostracismo para escrever sobre um dos filmes que mais aguardei e antes que você pense: “Ai, lá vem mais um hater falar mal do filme”, veja a foto abaixo.

cas._marina_e_hugo_0690Esta foto é do meu casamento. O do meio sou eu e os das pontas são meus padrinhos (e irmãos). Definitivamente eu sou uma das pessoas que mais queria que este filme funcionasse. Muito. Mas não deu (que fique claro, não deu em termos de história. Com relação a bilheteria ele vai muito bem, obrigado).

Estou escrevendo como um fã. Serão comentários passionais, totalmente pessoais. Não vou escrever sobre figurino, fotografia, métrica do roteiro, etc, por dois motivos: 1) tem um monte de pessoas competentes que já fezeram isso, por favor leiam a Isabela, a Gazeta e os blogs dos meus amigos Marden, Joba e Paulo Camargo. O segundo motivo é que não sei analisar estas coisas ;-).

Tenho um monte de comentários e observações, no começo do texto falo sobre o que está evidente no filme, no final falo das nerdices.

O que gostei.

Batman: Apesar de darem o enfoque somente no Batman brigador força bruta, eu ainda gostei dele. Para quem não sabe, nos quadrinhos, o Vigilante de Gotham é o maior detetive do mundo, ele resolve as coisas na inteligência e só depois sai no braço. Como eu achava desde o começo, o Ben Affleck não decepcionou e acredito que fará um filme solo do Homem-Morcego ainda melhor.

Alfred: Com tantos personagens para tratar, o Alfred acabou mesclando as suas características a de outro personagem, Lucius Fox. O resultado ficou bom. A química entre Ben Affleck e o Jeremy Irons funciona.

Briga do Batman no Armazém: Definitivamente a melhor cena de briga de todo o filme. Estratégia com brutalidade.

Uniforme do Batman e da Mulher Maravilha: Muito bem adaptados. O uniforme e a armadura do Batman saíram diretamente do Cavaleiro das Trevas. A decisão de tirar as cores fortes do uniforme da Mulher Maravilha e substituir por uma paleta ocre ficou excelente.

IVECO: O caminhão que transporta a kriptonita é da IVECO, nem o batmovel consegue parar este caminhão. Isto mostra a robustez e qualidade do produto!!! (feito o social com a patroa)

Pronto, foi isso, parei por aqui. Vamos fazer um intervalo para você assistir ao trailer e depois continuo com o que não gostei.

O que não gostei.

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em 29/03/2016 em Cinema, Estréia, Filmes, Quadrinhos

 

Capitão América: Soldado Invernal – Resenha

ca2_728x90_hoje

A Marvel está colocando em outro patamar, não só os filmes de herói, e sim os filmes de ação! Capitão América: Soldado Invernal é a prova concreta disso.
por Hugo Fernando

Há alguns meses escrevi uma resenha falando o quanto o segundo filme do Thor foi melhor que o primeiro e que, provavelmente, seria o melhore filme na fase 2 do projeto Vingadores., pois bem, estava certo quando afirmei que o filme era melhor que o primeiro, porém o segundo Capitão América acaba de tirar a Coroa de Thor 2 como o melhor filme da fase 2.

Esta sequência faz referência ao primeiro longa, porém, por se passar quase 70 anos depois do primeiro, não chega a ser uma continuação.

A fatos de Capitão América: Soldado Invernal está mais para uma sequência de Vingadores. A história dos personagens, bem como toda a trama envolvendo a S.H.I.E.L.D. parte dos acontecimentos na cidade de New York.

A história começa quando a toda poderosa SHIELD está na fase final para implantar um novo projeto de proteção mundial baseado em seus aeroportaaviões e satélites. Algumas dúvidas pairam na cabeça de Nick Fury e o projeto é suspenso momentaneamente. Neste ponto começa a teoria da conspiração e o Soldado Invernal entra em cena para eliminar quem está atrapalhando. Para proteger o projeto e a si mesmo, Nick Fury aciona o Capitão América. Agora começa a corrida de gato e rato. Cada personagem com seu objetivo de neutralizar um oponente.

O filme é de ação ininterrupta, mas vale o destaque para as cenas de luta corpo a corpo entre o Capitão América e o Soldado Invernal. Há uma briga de faca entre os dois personagens que deveria ser ensinada em todas as escolas de cinema do mundo de tão empolgante que é!

Não vou revelar quem é o Soldado Invernal para não estragar parte da graça do filme, mas para quem conhece a história dos quadrinhos a resposta é óbvia. Apesar do arco ser um pouco diferente do original, a história funcionou perfeitamente no cinema, para falar a verdade, acredito que na telona as histórias do Capitão estão muito mais interessantes do que nos quadrinhos. Tirando a fase do Mark Gruenwald, o Capitão América, para mim, somente foi interessante logo depois do 11 de setembro, a versão Ultimate e quando o Ed Brubake escreveu! Por falar neste último escritor, todos já conhecem e acham fácil o Stan Lee nos filmes dos heróis da Marvel, quero ver você reconhecer o Ed Brubake em sua participação especial!

cont2

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em 10/04/2014 em Cinema, Trailer, Vídeo Game

 

Tags: , , , , , , , , , ,

Conheça Walter Simonson, o artista responsável pelo sucesso do Thor!


AFN_PR_SiteEuGostoJogar_468x60_JaEm

Do cancelamento iminente para o sucesso nos cinemas. Conheça Walter Simonson, um dos artistas responsáveis pelo sucesso do Thor
por Hugo Fernando

Thor Visionaries-Walt Simonson

Senhoras e Senhores.

Já está nas lojas de todo o país o melhor filme de herói de 2013. Thor – Mundo Sombrio. Se você já assistiu ao filme sabe do que eu estou falando, caso ainda não tenha assistido, saiba que você é um herege, leia a resenha que fiz na época da estréia nos cinemas e vai entender do que eu estou falando.

Aproveitando o lançamento do filme nas lojas vou falar de um cara que foi responsável por tirar a revista do Thor do cancelamento e coloca-la entre as mais lucrativas da editora na década de 80. Estou falando de Walter Simonson.

No auge do período tirânico de Jim Shooter (editor chefe da Marvel na década de 80), vários artistas foram destaques em títulos chaves da editora. Para citar alguns, Frank Miller estava com o Demolidor, Chris Clareamont estava nos X-Men, John Byrne estava também nos X-men e na sequência com o Quarteto Fantástico. E o nosso amigo Walter Simonson começava a escrever e desenhar as revistas do Thor. Citei estes nomes para você ter uma ideia de como é rica está fase da nona arte. A base das histórias em quadrinhos que você assiste hoje nos cinemas, veio de arcos de histórias desta época, mais uma vez vamos as citações. Saga de Fênix nos X-Men, Demônio na Garrafa e Guerra das Armaduras do Homem de Ferro, Vilões Malekith e Kurse do Thor.

Como já mencionei, Walter Simonson pegou um personagem decadente, que tinha vendas pífias e começou a trabalhar. A ideia básica dele era aproximar o herói da Marvel o máximo possível do Deus do Trovão original da mitologia nórdica. Acredite, apesar do mesmo nome, são personagens bem diferentes. Leia os contos mitológicos no fim do livro do Thomas Bulfinch ou algumas partes do livro sobre mitologia nórdica que tem o Anel de Nibelungo que você verá a diferença.

cont2

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em 21/02/2014 em Cinema, Trailer

 

Tags: , , , , , , , , , , , , ,

O Jogo do Exterminador – Resenha

Uma ficção científica de primeira grandeza estreia este fim de semana. Jogo do Exterminador foi uma grata surpresa que merece ser vista!
por Hugo Fernando

enders-game-poster

Senhoras e Senhores.

Primeiramente tenho que admitir minha falta de conhecimento. A primeira vez que escutei “O Jogo do Exterminador” associei diretamente com um jogo de videogame sobre o Exterminador do Futuro. Somente depois que fui relacionar com o livro clássico de ficção escrito por Orson Scott Card. #mybad

No filme, a Terra sofreu uma invasão pelos Formics, depois de muito sacrifício a raça alienígena foi derrotada e expulsa do nosso planeta, porém o estrago estava feito. O clima de paranoia extrema estava instaurado no planeta e um plano de preparação para evitar uma segunda invasão começou a ser delineado. Partindo da ideia que a melhor defesa é o ataque, um treinamento específico para lutar contra os formics começou a ser desenvolvido. Neste estudo descobriu-se que as crianças/adolescentes são as pessoas que tem o melhor desempenho em manipular as armas e tecnologias nesta guerra.

Com este cenário aparece em cena Andrew “Ender” Wiggin (Asa Butterfield), o caçula de três irmãos. Ele está em treinamento na escola militar comandada pelo Coronel Graff (Harrison Ford) e seu desempenho salta à vista de todos. Ele é tido como a pessoa que pode vencer a guerra. O que foi descrito até aqui são os 10/15 minutos iniciais do filme. A partir deste ponto é mostrado o treinamento específico do garoto, bem como seus relacionamentos e questionamentos sobre o que está acontecendo.

Confira o trailer abaixo:

Assisti ao filme sem muito conhecimento da história e sobre quais eram as características. Procurando fazer uma associação para entender o que estava vendo, na primeira meia hora do filme, achei que seria uma mistura de Harry Potter com Starship Troopers, esta tudo lá. O menino que sofre com os colegas e é tido como salvador, o tutor que confia em seu potencial, as turmas dentro da escola, tem até uma espécie de jogo. Tudo isso no espaço. Porém a medida que o filme vai passando e as correlações com o mundo hoje vão se estabelecendo, a impessoalidade da guerra, crianças na linha de frente em alguns exércitos, quando esta conexão é feita, você nota que a história é muito maior. Existe todo um drama de relacionamentos e conflitos que torna a história muito mais interessante. Não é apenas uma diversão com tiros no espaço. E é exatamente neste ponto que o filme pode ter seu calcanhar de aquiles. Sincera é honestamente não sei a  meninada de hoje vai entender isso. Está certo que o filme tem efeitos especiais muito bem executados, tem ação, porém não tem alívio cômico e o ritmo não é frenético! Eu achei que ficou muito bom da forma que está, mas se alguém for assistir esperando algo parecido com StarWars ep. III vai ficar decepcionado.

Hora da verdade.

Totalmente recomendado. Aproveite este fim de semana que precede o natal e, enquanto o povo todo soca as lojas para comprar o par de havaianas para dar para o amigo secreto, você pode assistir a um ótimo filme na telona do cinema. Sinceramente, no gênero ficção, foi o melhor filme que assisti este ano!

That´s all Folks.
Twitter
FaceBook 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 20/12/2013 em Cinema, Estréia, Trailer

 

Tags: , , , , , , , ,

Hobbit, A desolação de Smaug – Resenha do “Hatter”!

thor

O filme melhora com relação ao primeiro, o clima leve e brincalhão começa a dar lugar a um ar mais soturno!
por Hugo Fernando

O-Hobbit-A-Desolação-de-Smaug-cartaz-01

Senhoras e Senhores.

O blá, blá, blá de sempre vocês conhecem, não gosto de senhor dos anéis. Com isso em mente vamos a resenha!

Ao contrário da Jornada Inesperada, fui assistir a Desolação de Smaug já esperando alguma algo mais, minha expectativa já não estava mais tão baixa, afinal, assisti ao primeiro filme e acompanhei os trailers e spots da TV. A primeira coisa que eu digo é banal, não vá para o cinema sem ter assistido a primeira parte. É totalmente necessária as informações do primeiro longa para saber o que ocorre no segundo. Segundo, o filme não me surpreendeu. O que eu imaginava ver estava lá, tudo muito bem feito, mas nada de diferente do que já vimos.

Segunda parte de trilogias são, geralmente, meio ingratas. O motivo é óbvio, ela não tem começo e não tem fim. Aqui não foi diferente. Para não dar spoilers, e de uma forma rasa, posso dizer que o primeiro filme tratou de como chegar até a montanha, lar dos anões. O segundo filme é sobre como entrar na montanha. O ritmo de “road movie” continua, e através das caminhas tradicionais dos filmes baseado na obra de Tolkien, nós conhecemos vários pontos e personagens da terra média. Eu achei muito boa a passagem pela casa de Beorn, pela Floresta Negra e a fuga nos barris. Fico imaginando a felicidade dos caras que curtem de forma radical o universo do senhor dos anéis. Abaixo coloquei o trailer oficial do filme e vários spots de TV. Assista!

Com relação ao filme, ele ficou mais pesado. Enquanto no primeiro filme tem um forte alivio cômico com os anões, isto diminui agora. Outro ponto, fica claro e óbvio que o Bilbo começa a ser “tentado” pelo anel e a missão de devolver a grandiosidade do reino dos anões, deixa Thorin cada vez mais cego pela ganância. Por conta destes conflitos gostei mais deste filme do que do primeiro. Além disso, esta segunda parte tem mais ritmo que o longa anterior, as cenas se interligam de uma maneira mais fluida.

Como o nome já entrega, neste capítulo finalmente o dragão Smaug aparece. Como era previsto, ficou muito bom! Juntou a capacidade de Peter Jackson com a interpretação (captura de movimentos) e voz do Benedict Cumberbatch e tivemos um ótimo resultado. Dura alguns minutos consideráveis a cena entre o Smaug e Bilbo (ou se preferir, Sherlock e Watson) tudo ficou ótimo. Ao ver o making of de algumas centas, soube que em momento algum os dois atores se encontraram!

Para fechar duas observações:

1) Martin Freeman (o Bilbo) está cada vez melhor no papel. Ele colocou uma linguagem corporal no personagem que, por várias vezes, ele não falava nada e eu sentia exatamente o que ele queria expressar. Muito bom!

2) Quando um cara é muito bom, você diz que ele é ninja. Quando um ninja é muito bom, você diz que ele é o Chuck Norris. Quando o Chuck Norris é muito bom, pode chama-lo de Légolas! Na boa, se na trilogia do anel, tivesse mais uns três caras equivalente ao filho de Thranduil, tenho certeza que os três longas seriam menor que um Spot de TV!

Hora da Verdade.

Vale a pena conferir o filme. Se você gostou dá primeira parte, com toda certeza gostará da segunda, afinal ela elevou o nível. E veja o seguinte, um cara que não gosta de senhor dos anéis está elogiando o filme, se você gosta um pouquinho, este filme vai explodir sua cabeça.

Paro por aqui, mais pra frente o Caco apresenta a visão de fanático. Imagina, o filme estreia hoje e o cara  já assistiu duas vezes.

That´s all Folks.
Twitter
FaceBook 

 
2 Comentários

Publicado por em 13/12/2013 em Cinema, Trailer

 

Tags: , , , ,

Para entrar no clima do segundo filme do Hobbit!

thor

Quer dar uma voltinha pela terra média? Então confira este post!
por Hugo Fernando

hobbit

Senhoras e Senhores.

Começando o esquenta do segundo filme do Hobbit, confira uma página especial criada para te ambientar nos domínios da terra média.

Então, quer continuar o passeio, acesse o endereço abaixo através do navegador Chrome (para celular e desktop) e aproveite!

http://middle-earth.thehobbit.com/

Ta chegando o dia da continuação, vamos ver se irá me surpreender!

That´s all Folks.
Twitter
FaceBook 

 
Deixe um comentário

Publicado por em 26/11/2013 em Cinema, Trailer

 

Tags: , , , , ,

Marvel Comics – A História Secreta.

thor

Livro necessário e obrigatório! Simples assim!
por Hugo Fernando

marvel_comics_história_secreta

Senhoras e Senhores.

Todos que acompanham o sucesso dos filmes baseados em história em quadrinhos, sabem que a Marvel Studios está se firmando cada vez mais como uma potência. Mas as coisas nem sempre foram assim.

O escritor Sean Howe começa lá atrás, bem lá atrás, quando a editora nem usava o nome Marvel. Aos poucos ele apresenta os nomes dos cânones dos quadrinhos (me senti o Faustão por usar a palavra cânone), Stan Lee, Jack Kirby, Steve Dikto, entre outros.

Porém esta parte, da fundação da Marvel até o fim dos anos 70, é o prelúdio do melhor livro. Por mais interessante que seja a motivação e a descrição do cenário para criação dos personagens clássicos, nada disso chega perto ao que é descrito durante o reinado mão de ferro de Jim Shooter.

Comecei a ler quadrinhos exatamente nesta época, a editora Abril mantinha uma atraso entre quatro a cinco anos com relação aos Estados Unidos, com isso, por volta de 1985, estava sendo publicado a saga da Fenix por aqui. No livro, o autor descreve com detalhes todo o clima deste período. Li novamente a saga completa e a cada palavra eu imaginava as discussões homéricas entre Chris Clareamont, John Byrne e Jim Shooter sobre os caminhos que a saga deveria tomar. Este é apenas um exemplo, ele descreve a história por trás de personagens como o Demolidor do Miller, sobre a criação da Cristal, sobre a famigerada Guerras Secretas entre outras histórias. Todo o capítulo três é sobre esta época. É simplesmente impossível parar de ler.

cont2

Read the rest of this entry »

 
Deixe um comentário

Publicado por em 19/11/2013 em Literatura, Vídeo Game

 

Tags: , , ,